A-A+

Promotoria denuncia ex-presidente da Vale e 15 pessoas por homicídio doloso

O desastre em Brumadinho (MG) deixou 270 mortos

Destruição pelo rompimento da barragem de uma mina de minério de ferro pertencente à gigante mineradora brasileira Vale Destruição pelo rompimento da barragem de uma mina de minério de ferro pertencente à gigante mineradora brasileira Vale  - Foto: Mauro Pimentel/AFP

O Ministério Público de Minas Gerais denunciou 16 pessoas por homicídio doloso duplamente qualificado –quando há intenção de cometer crime - pelo rompimento da barragem B1, no Córrego do Feijão, ocorrido no dia 25 de janeiro de 2019.

As empresas Vale e Tuv-Sud foram denunciadas por crimes ambientais.Entre os 16 denunciados está o ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman, além de outros funcionários da mineradora e da alemã Tuv-Sud.

A denúncia foi encaminhada à Justiça na manhã desta terça-feira (21), quatro dias antes do desastre completar um ano. Ela é resultado de investigação conjunta do Ministério Público de Minas Gerais e da Polícia Civil do estado.

Leia também:
Tragédia em Brumadinho deixou legião de viúvas
Promotores e procuradores tentam em Brumadinho evitar reveses de Mariana


Os 16 denunciados e as empresas foram indiciados pela polícia também nesta terça. As investigações ouviram 183 pessoas.

O desastre em Brumadinho (MG) deixou 270 mortos - 259 já identificados e 11 ainda desaparecidos. Familiares contam 272 mortos, incluindo dois bebês que ainda estavam na barriga das mães.

Veja também

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio
Brasil

Pesquisadores confirmam presença de onça-parda na zona oeste do Rio

Pernambuco recebe nova remessa da vacina Coronavac
COVID-19

Pernambuco recebe nova remessa da vacina Coronavac