Proposta de reajuste para PMs será enviada à Alepe até 4 de fevereiro

Até lá, Comando da Polícia e dos Bombeiros Militares fará negociações com o Governo

"População precisou arregaçar as mangas e colocar a mão no material tóxico para que as autoridades começassem a se mexer”, criticou Jô Cavalcanti, das Juntas (PSOL) "População precisou arregaçar as mangas e colocar a mão no material tóxico para que as autoridades começassem a se mexer”, criticou Jô Cavalcanti, das Juntas (PSOL)  - Foto: Sabrina Nóbrega / Alepe

Uma proposta de reajuste salarial e estabelecimento de Plano de Cargos e Salários para a policiais e bombeiros militares de Pernambuco será encaminhada à Assembleia Legislativa do Estado (Alepe) até o dia 4 de fevereiro, depois do término do recesso parlamentar de fim de ano. A informação foi dada nesta quarta-feira (4) pelo comandante geral da PMPE, o coronel Carlos D'Albuquerque, após reunião com o Governo do Estado. Também anunciou que uma turma de 1,5 mil aprovados no concurso da PM terá início no dia 16 de fevereiro.

Segundo o coronel D'Albuquerque, as negociações seguem, com a próxima reunião marcada para esta quinta-feira (5), às 15h, na Secretaria de Administração. "Vamos desenvolver uma proposta que seja viável para os cofres do Estado. Não adianta que conquistemos avanços salariais se o Estado não puder honrar o compromisso", alegou o coronel. O comandante se disse confiante quanto à aprovação da proposta tanto pela Alepe, quanto pelo Governo, e disse que a PM, atualmente em operação-padrão, deve retornar às atividades normais ainda antes do Carnaval, para garantir a segurança dos foliões.

Participaram do encontro, na Secretaria de Planejamento e Gestão, na Boa Vista, além do coronel D'Albuquerque, o comandante dos Bombeiros Militares, coronel Manoel Francisco da Cunha; e os secretários estaduais de Administração, Milton Coelho, Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, e Defesa Social, Angelo Gioia. Membros das associações de classe que representam a categoria não foram convidados. Segundo D'Albuquerque, toda a negociação será feita pelo Comando Geral e, quando houver uma proposta fechada, esta será apresentada à categoria.

Em entrevista à Folha de Pernambuco, o vice-presidente da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS/PE), Nadelson Leite, criticou e exclusão dos representantes de classe da mesa de negociação. "Isso é uma má estratégia. Não vejo motivo de estarem se escondendo das associações. É uma falta de respeito a forma como o Governo do Estado está conduzindo esse processo", protestou, acrescentando que os comandantes gerais são representantes institucionais da corporação, não da categoria.

PJES

Atualmente, a orientação da ACS é que os PMs não participem do Programa de Jornada Extra de Segurança (PJES), pelo qual os policiais dão plantões extras no período interjornada. Para o comandante D'Albuquerque, o PJES é um "mal necessário". "Esse é um 'câncer' que nunca vai sair da PM. Mas, para que os policiais não se exponham nas ruas, em outros empregos, é melhor que fiquem dentro de casa", explicou.

Concurso

Sobre os aprovados no último concurso da Polícia Militar, o coronel Carlos D'Albuquerque informou que a primeira turma de aprovados, de 1,5 mil pessoas, dará início ao curso de capacitação, que term duração de seis meses.

Veja também

Mais um cidadão negro é morto pela polícia nos EUA
Racismo

Mais um cidadão negro é morto pela polícia nos EUA

Homem preso por prender cadela em moto e a arrastar por seis quilômetros recebe liberdade provisória
FOLHA PET

Homem preso por prender cadela em moto e a arrastar por seis quilômetros recebe liberdade provisória