Público chega animado para acompanhar a posse de Bolsonaro

Pessoas aproveitam para tirar fotos diante de dois bonecos infláveis de Bolsonaro no gramado na antena de TV

Apoiadores de Bolsonaro na EsplanadaApoiadores de Bolsonaro na Esplanada - Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Apesar de a Esplanada dos Ministérios ter sido aberta ao público às 9h, o fluxo de pessoas para a posse do presidente Jair Bolsonaro aumentou pouco antes das 13h desta terça-feira (1º). As filas na primeira barreira de revista, às 14h40, chegavam à rodoviária urbana de Brasília, cerca de 500 metros do local. A Polícia Militar do Distrito Federal reforçou a equipe de revista, com mais 20 policiais.

O clima geral era de festa e otimismo, com gritos de "o capitão chegou", mas muitos expressavam preocupação com a segurança do presidente eleito.  O eletricista Wasllisson Jesus do Sacramento, 24, disse esperar grande mudanças no país na área da segurança. Mas sobre a própria festa de posse o clima pra ele é de apreensão. "Estou com muito medo. A gente lutou muito pra ter um cara diferente, pra ter melhoria, e dá medo de acontecer alguma tragédia. A gente lembra dos estados. Pedi muito a Deus que não aconteça nada", diz ele, que nasceu na Bahia, mas mora em Águas Lindas (GO) há quatro anos.

Leia também:
[Ao vivo] Acompanhe em tempo real a posse de Bolsonaro

"Vou ficar até o final só pra ter certeza de que não vai acontecer nada", completa ele, lembrando que Bolsonaro foi esfaqueado durante a campanha e que até nos Estados Unidos já houve atentando contra um político eleito. 

A espera na fila não tirou a animação da fluminense Joana D’Arc Trol da Silva. Liderando um grupo de 12 amigos de Niterói, Joana D’Arc cantava e pulava sem parar, agitando os que estavam a sua volta. “O mito chegou, e o Brasil acordou”, cantava Joana D’Arc, vestida nas cores da Bandeira do Brasil.

Para ela, a posse de Bolsonaro será o acontecimento do século. “Apostei todas as minhas fichas no Bolsonaro, porque quero mudança. Mudança não é o PT, o MDB ou o PDT”, disse Joana D’Arc. “Eu sei que o primeiro ano dele será difícil, mas a palavra é mudança”.

Caravanas
Há caravanas organizadas e identificadas com camisetas de vários estados, como Espírito Santo, Ceará, São Paulo, Minas Gerais, Alagoas. No público há idosos, casais e famílias inteiras. O aposentado Irineu Assis, 64, veio a Brasília sozinho de Fernandópolis (SP). Deixou a mulher, pegou dois aviões e passou a virada de ano na cidade. "Vim só pra ver o Bolsonaro. Tomara que não tenha nada dessas coisas de terrorismo".

Há policiais espalhados por vários locais da Esplanada. O bloqueio para acesso à Praça dos Três Poderes foi montado diante da Catedral. Ao contrário do que foi anunciado, mochilas têm sido liberadas, mas policiais fazem a revista. O tempo nublado que dominou a manhã em Brasília já foi substituído por um sol forte, que promete testar a resistência dos militantes.

Quando a Polícia Militar ampliou a área de revista, as pessoas que aguardam nas filas correram e gritaram em coro “mito, mito, mito”. Entre camisetas e chapéus nas cores da Bandeira do Brasil, faixas presidenciais estilizadas e bonecos infláveis de Bolsonaro se destacavam.

Um grupo de 30 motociclistas de Campinas se diferenciou pela cor. Eleitores de Bolsonaro, vestiam camisetas laranjas, cor do Partido Novo. O grupo também chamava a atenção pela euforia. “Viemos trazer boas energias”, Ana Paula Ataíde.

Segundo Ana Paula, a posse de Bolsonaro é um marco na história brasileira. “Agora todos temos de colaborar. Não basta só o governo fazer, cada brasileiro tem de fazer a sua parte”, afirmou.

Veja também

Pernambuco segue com campanha de vacinação contra Covid-19 com profissionais de saúde
Vacina em Pernambuco

Pernambuco segue com campanha de vacinação contra Covid-19 com profissionais de saúde

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde
Mais médicos

Governo autoriza ampliação de vagas do Mais Médicos em Manaus diante de crise na saúde