Ucrânia e Rússia

Putin nega que Rússia tenha bombardeado cidades ucranianas

O presidente classificou essas acusações como "falsidades grosseiras"

Vladimir Putin, presidente da RússiaVladimir Putin, presidente da Rússia - Foto: Alexey Nikolsky / SPUTNIK / AFP

O presidente russo Vladimir Putin negou nesta sexta-feira (4) que as tropas russas tenham bombardeado Kiev e outras cidades da Ucrânia e classificou essas acusações como "falsidades grosseiras".

"As informações sobre o suposto bombardeio de Kiev e de outras grandes cidades são falsidades grosseiras e propagandísticas", disse Putin em uma conversa telefônica com o chefe do governo alemão Olaf Scholz, informou o Kremlin em um comunicado.

Além disso, submeteu o diálogo com a Ucrânia à aceitação de "todas as exigências russas". 

Putin "confirmou que a Rússia está aberta ao diálogo com o lado ucraniano e com todos aqueles que querem a paz na Ucrânia. Mas com a condição de que todas as exigências russas sejam atendidas", disse o Kremlin em comunicado. 

As demandas incluem o status neutro e não nuclear da Ucrânia, sua "desnazificação", o reconhecimento da Crimeia como parte da Rússia e a "soberania" dos separatistas nos territórios do leste da Ucrânia. 

Segundo o Kremlin, Putin disse esperar que "os representantes de Kiev tomem uma posição razoável e construtiva na terceira rodada de negociações". 

A próxima reunião das delegações russa e ucraniana está marcada para o fim de semana, segundo um dos negociadores de Kiev.

Veja também

Rádio na Amazônia pode ser aliada no combate a desigualdades
comunicação

Rádio na Amazônia pode ser aliada no combate a desigualdades

Há "boas razões para acreditar" que houve estupros em ataques do Hamas, diz ONU
MUNDO

Há "boas razões para acreditar" que houve estupros em ataques do Hamas, diz ONU