Guerra na Ucrânia

Putin se comporta 'como os nazistas', acusa porta-voz da UE

"Putin fala em "prevenção de um genocídio, o que não faz sentido, porque ele está cometendo um", disse Peter Stano

Manifestantes também associam Putin a imagem de Hitler em protesto na Romênia Manifestantes também associam Putin a imagem de Hitler em protesto na Romênia  - Foto: Daniel Mihailescu / AFP

O presidente russo, Vladimir Putin, está se comportando na Ucrânia "como os nazistas" e está prestes a cometer um genocídio - acusou um porta-voz da Comissão Europeia, o eslovaco Peter Stano, nesta sexta-feira (25).

Putin fala em "prevenção de um genocídio, o que não faz sentido, porque ele está cometendo um, ou está prestes a cometer um. Fala em 'desnazificar' a Ucrânia, mas se comporta como os nazistas", criticou o porta-voz.

Putin justificou a ofensiva militar contra alvos na Ucrânia pela necessidade de eliminar elementos de tendência nazista no país vizinho. Segundo o presidente russo, estes grupos estariam cometendo um genocídio contra a população russófona.

Nesta sexta-feira (25), Stano disse que é difícil saber os verdadeiros objetivos de Putin e de sua ofensiva militar, mas que os efeitos reais são "desumanos".

Putin - insistiu o porta-voz - "quer tomar a independência da Ucrânia. Quer causar dano e sofrimento nos ucranianos. Isso é desumano. Não é civilizado, não corresponde à Europa do século XXI".

Os líderes da UE aprovaram, politicamente, na quinta-feira (24), um pesado pacote de sanções contra os setores financeiro, de transportes e de energia, além de restrições à exportação de tecnologia e à concessão de vistos.

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, pediu, publicamente, sanções mais pesadas contra a Rússia e, nesta sexta, o chefe do Conselho Europeu, Charles Michel, anunciou que mais medidas estão sendo preparadas "com urgência".

Veja também

Pressão diplomática aumenta para cessar-fogo entre Israel e Hamas em Gaza
GUERRA NO ORIENTE MÉDIO

Pressão diplomática aumenta para cessar-fogo entre Israel e Hamas em Gaza

Governo brasileiro acompanha "com preocupação" situação no Haiti
inSEGURANÇA

Governo brasileiro acompanha "com preocupação" situação no Haiti