Quadro de jovem que teve couro cabeludo arrancado está evoluindo

De acordo com o boletim médico do hospital, Débora Dantas de Oliveira está em recuperação depois de passar por cirurgia de dez horas de duração

Cirurgia da auxiliar de ensino infantil, Débora Dantas de OliveiraCirurgia da auxiliar de ensino infantil, Débora Dantas de Oliveira - Foto: Reprodução/TV Globo/EPTV

Após passar por procedimento cirúrgico, no último sábado (24), com duração de dez horas, a auxiliar de ensino infantil Débora Dantas de Oliveira está em recuperação no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Especializado de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.

De acordo com o boletim médico da instituição, o quadro de saúde da jovem que teve o couro cabeludo arrancado em acidente de kart está evoluindo dentro do previsto.

Segundo o noivo da jovem, o microempresário Eduardo Tumajan, ela está bem e já conversou com o noivo depois do procedimento. “Conversei com ela depois da cirurgia e ela estava bem, lúcida. Pedi para ela descansar e repousar para que possa se recuperar mais rápido”, disse Tumajan, ao acrescentar que no primeiro contato com Débora no CTI, no sábado às 11h30, ela estava dormindo.

A boa notícia é que o procedimento para reconstrução da área que teve o couro cabeludo arrancado foi um sucesso. A auxiliar de ensino infantil está no CTI como protocolo da instituição de saúde.

Leia também:
Grupo organiza vaquinha para ajudar jovem escalpelada por kart; saiba como doar
Médico dos EUA vem para SP para tratamento de jovem escalpelada por kart
Jovem vítima de acidente de kart já está em São Paulo


Entenda o caso

Débora Dantas Oliveira corria de kart com o namorado em uma pista no estacionamento do Walmart, em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, no último dia 11, quando o cabelo soltou da touca e ficou preso no motor. A pele foi arrancada desde a altura dos olhos até a nuca. A jovem foi socorrida pelo namorado e levada ao Hospital da Restauração, região central da capital pernambucana, onde foi feito o reimplante do couro cabeludo.

Os médicos conseguiram recuperar e reimplantar 80% da área atingida. Contudo a equipe médica do Recife apontou o risco de o procedimento não funcionar devido ao aparecimento de obstruções nas veias e artérias da área operada. No domingo (18) seguinte ao acidente, Débora foi transferida para o Hospital Especializado, na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo.

Procurado, o grupo Big Bompreço, antigo Walmart Brasil, custeia toda a recuperação de Débora em São Paulo, inclusive a vinda do médico Marco Maricevich dos Estados Unidos e os dois acompanhantes da jovem. Segundo a assessoria de imprensa da rede de supermercados, tudo que for decidido pela família da jovem e pela a equipe médica será arcado pelo grupo.

Investigação

A pista onde Débora sofreu o acidente funcionava sem alvará e era administrada pela empresa Adrenalina Kart. O local foi interditado na segunda-feira (12), um dia após o acidente, em fiscalização feita pelo Procon-PE e Corpo de Bombeiros. O representante da Adrenalina Kart, o empresário Vanderlei Dreyer, pai do proprietário Fábio Dreyer, classificou o caso como uma "fatalidade".

A família registrou o caso em Boletim de Ocorrência e a Polícia Civil de Pernambuco abriu inquérito para investigar o acidente. Segundo o delegado Alfredo Jorge, responsável pelo caso, oito pessoas foram ouvidas até agora, mas a conclusão do inquérito deve demorar, pois depende dos resultados das perícias e do depoimento de Débora.

Veja também

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes
boletim

Covid-19: Brasil acumula 5,49 milhões de casos e 158,9 mil mortes

Mulher negra é nomeada para principal cargo da polícia de Nova York
internacional

Mulher negra é nomeada para principal cargo da polícia de Nova York