Vida Plena

Quais os cuidados para retomar o exercício físico com segurança após a Covid?

Coronavírus pode afetar o condicionamento físico; especialistas orientam como agir

Educadora física orienta cuidados para o retorno às atividadesEducadora física orienta cuidados para o retorno às atividades - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A pandemia causada pelo novo coronavírus tem deixado consequências em indivíduos acometidos pela doença. Uma delas, como explica o pneumologista Roberto Leite, diretor médico da Uniar, clínica de pneumologia do Hospital Jayme da Fonte, está diretamente ligada ao condicionamento físico do paciente. 
 

“A doença Covid-19 pode interferir no condicionamento físico do paciente tanto pelo comprometimento pulmonar como pela perda de massa muscular. A gravidade da perda e o tempo de perda depende da extensão da doença. Em caso de envolvimento pulmonar muscular intenso, essa perda poderá ser bastante longa, durando meses para se recuperar”, detalhou.
 
Devido às alterações ocasionadas no organismo, o retorno aos exercícios físicos pode resultar, de início, em fadiga e cansaço. Mas, ainda assim, com o devido acompanhamento e cuidado, a prática da atividade traz benefícios importantes. “Não há tempo definido para o retorno, variando de caso a caso. A atividade física deve ser sempre estimulada, para que consiga ocorrer uma recuperação mais rápida, respeitando-se a capacidade muscular respiratória e cardíaca de cada indivíduo”, comentou.

Como destaca o médico, em casos mais graves, o processo de recuperação costuma ser lento e a fisioterapia respiratória ou motora deve ser estimulada. “É sempre necessário um acompanhamento médico com avaliação periódica. A duração do tempo depende da gravidade com que a doença se instalou, da presença de outras comorbidades, idade do paciente. A depender da sintomatologia, essas avaliações devem ser complementadas com exames laboratoriais como radiografias, tomografias e prova de função pulmonar”, disse.
 

Exercícios recomendados para o recomeço

A educadora física Juliana Nobre orienta que é preciso cautela na retomada. “A Covid-19 tem um processo de inflamação que faz com que o indivíduo perca massa muscular, que fará com que aumente a fadiga e haja perda de força. A função cardiorrespiratória também é afetada e a doença também pode afetar o sistema neurológico e a saúde mental do indivíduo, contribuindo para o aparecimento da ansiedade e depressão”.

O tempo para voltar a praticar atividades após a Covid vai depender da gravidade da doença e dos hábitos do indivíduo antes de contrair o vírus. Já pessoas que ainda estão positivadas, podem fazer pequenas atividades durante o isolamento. “É recomendado que a pessoa esteja totalmente sem sintomas para voltar aos treinos .O aumento da intensidade deve ser gradual, a cada semana, e com monitoramento dos sintomas. Indivíduos assintomáticos, podem fazer exercícios leves em casa, como alongamentos e caminhadas, mas monitorando o aparecimento de sintomas”, comentou a personal trainer.
 

Exercícios de força e resistência, combinados com treinos aeróbios, são indicados para o momento de retomada (veja mais no infográfico). Em casos mais graves, o acompanhamento profissional é fundamental. “Procure fazer exames cardiológicos e do pulmão para verificar se não ficaram sequelas onde o vírus afeta mais, como uma miocardite, por exemplo. É importante, se possível, que o indivíduo volte aos treinos com profissionais especialistas em reabilitação cardíaca”, frisou a educadora física. 

Veja também

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça
Rio de Janeiro

Servidor que acusou perseguição de Ibama após caso das girafas importadas recupera cargo na justiça

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses
Saúde

Pernambuco autoriza vacinação contra a influenza para todos os moradores a partir de seis meses