Quase 2.000 novas espécies são incluídas em lista vermelha de ameaça de extinção

União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) incluiu quase duas mil novas espécies ameaçadas de extinção à sua chamada lista vermelha

Parte dos animais estão em risco por conta do aquecimento globalParte dos animais estão em risco por conta do aquecimento global - Foto: Olivier MORIN / AFP

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) incluiu quase duas mil novas espécies ameaçadas de extinção à sua chamada lista vermelha. Foram adicionadas 1.840 novas espécies. Agora, são ao todo 30.178 ameaçadas de extinção, de acordo com um anúncio realizado durante a Conferência do Clima da ONU, a COP-25, que acontece em Madri, na Espanha.

"As mudanças climáticas aumentam as múltiplas ameaças que [elas] enfrentam, e devemos agir de maneira rápida e decisiva para enfrentar a crise", afirmou Grethel Aguilar, diretor geral interino da UICN.

A entidade destacou, por exemplo, o impacto da mudança climática nos peixes de água doce da Austrália, dos quais 37% estão ameaçados. Desse percentual, pelo menos 58% são diretamente afetados pelo aquecimento.

Leia também:
Chile defende importância dos oceanos na COP25
Sem aval de Salles, governos da Amazônia negociam apoio de países europeus
Ministro do Meio Ambiente se reúne pela primeira vez com ambientalistas na COP-25

"A atualização [da lista vermelha] mostra que o impacto das atividades humanas na vida selvagem continua a crescer", acrescentou Jane Smart, chefe do grupo de conservação da biodiversidade da entidade. No entanto, o órgão destacou que essa tendência é reversível, enfatizando que a situação de dez espécies -oito aves e dois peixes de água doce- melhorou.

Veja também

Um Biden emocionado vai para Washington na véspera da inauguração
EUA

Um Biden emocionado vai para Washington na véspera da inauguração

Veja municípios de Pernambuco que já deram início à vacinação contra a Covid-19
Coronavírus

Veja como foi o primeiro dia de vacinação contra a Covid-19 em municípios de Pernambuco