Quatro cidades do Agreste terão racionamento ampliado a partir de segunda

Há cidade que ficará 24 dias sem água na torneira

 Barragem de Palmerinha, em Bom Jardim.  Barragem de Palmerinha, em Bom Jardim.  - Foto: Divulgação/ Compesa

Devido à seca prolongada no Agreste de Pernambuco, as cidades de Surubim, Bom Jardim, Orobó e João Alfredo, terão o racionamento de água ampliado a partir da próxima segunda-feira (30), quando receberão água vinda da Zona da Mata Norte. A obra é uma ação emergencial, segundo a Compesa, visando a preservar a Barragem de Pedra Fina, - que se encontra com apenas 27% do volume da sua capacidade total de 6,2 milhões de metros cúbicos.

A partir da próxima semana, Surubim e Orobó terão dois dias de fornecimento de água e 24 dias sem. Em João Alfredo, serão quatro dias com fornecimento de água e 24 dias sem e, para Bom Jardim, estão previstos quatro dias com água para 16 dias sem. As áreas localizadas nas periferias e nas partes mais altas dessas cidades receberão carros pipas que serão encaminhados para complementar o abastecimento.

Obras

Segundo a Compesa, uma adutora que teve sua construção iniciada em novembro do ano passado pelo Ministério da Integração Nacional está prevista para ter as obras terminadas em maio deste ano. O empreendimento interligará o Sistema Produtor do Siriji ao Sistema Integrado Palmeirinha, levando água de Vicência, na Zona da Mata Norte, para esses municípios do Agreste Setentrional. 

A integração de bacias transportaria uma vazão de 150 litros de água por segundo da Barragem do Siriji (capacidade total de 17 milhões de metros cúbicos) para o Sistema Palmeirinha. O projeto foi elaborado pela Compesa, também responsável por fiscalizar e dar apoio técnico. De acordo com a empresa, são R$ 33 milhões investidos na obra.

Veja também

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres
Vacinação

Grandes organizações internacionais pedem para priorizar vacinação em países pobres

Brasil bate a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas
Vacinação

Brasil bate a marca de 100 milhões de pessoas vacinadas