Quatro presos envolvidos no massacre no Pará morrem durante transferência

Eles faziam parte de um grupo de 30 detentos a caminho até a cidade de Marabá, a 600 km de distância

Rebelião no presídio de AltamiraRebelião no presídio de Altamira - Foto: Karina Pinto / Folhapress

Quatro detentos que sobreviveram ao massacre no presídio de Altamira morreram durante a transferência. Eles faziam parte de um grupo de 30 detentos a caminho até a cidade de Marabá, a 600 km de distância.

Segundo nota do governo do Pará, de Helder Barbalho (MDB), as mortes ocorreram dentro de um caminhão de transporte de presos entre as 19h dessa terça-feira (30) e a 1h da manhã desta quarta (31). Eles viajavam algemados e estavam divididos em quatro celas.

As mortes ocorreram por asfixia e só foram descobertas na chegada a Marabá. Sempre de acordo com a versão do governo estadual, os quatro mortos integravam a mesma facção criminal.

Com isso, sobe para 62 o número de vítimas em decorrência da rebelião da última segunda-feira (29). Na tarde da terça-feira, foi descoberto mais um corpo nos escombros da ala do presídio incendiada.

Leia também:
Governo do Pará transfere presos envolvidos em massacre
Vi a cabeça do meu filho num saco plástico, diz mãe de preso morto no Pará


O governo transferiu 46 presos de Altamira. Desses, 10 irão a presídios federais fora do Pará. O motivo do massacre, segundo as investigações, foi um confronto entre duas facções que disputam o controle do presídio de Altamira.

Veja também

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa
idosos

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio
emprego

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio