Coronavírus

Recife abre mais 29 leitos de UTI para Covid-19 e desativa 90 vagas de enfermaria

Segundo a prefeitura, reorganização da rede tem o objetivo de focar na abertura de leitos de UTI, mais demandados pelo sistema de saúde

Desmontagem de leitos na rede municipal de Covid-19 do RecifeDesmontagem de leitos na rede municipal de Covid-19 do Recife - Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

O Hospital Provisório Recife 1 (HPR 1), instalado na rua da Aurora, no bairro de Santo Amaro, área central da capital pernambucana, abre, nesta terça-feira (7), mais 29 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O anúncio foi feito pelo prefeito da Cidade, Geraldo Julio. 

Com as novas vagas no HPR 1, a rede chega municipal chega a 342 leitos para pacientes com Covid-19 em estado grave e 382 de enfermaria, totalizando 724 leitos em funcionamento. O número de leitos de UTI é maior do que os 334 anteriormente previstos. Com as alterações, o HPR 1 fica com 100 UTIs e 60 enfermarias ativas.

A Prefeitura do Recife (PCR) ainda anunciou a desativação, também a partir desta terça-feira, de 90 leitos de enfermaria no hospital de campanha dos Coelhos, área central do Recife. Esta é a segunda fase da readequação dos leitos municipais. Na primeira fase, foram desativados 210 leitos de enfermaria e abertos 24 de UTI. De acordo com dados da PCR, 65% dos 168 pacientes atualmente internados nas UTIs são de outras cidades pernambucanas. 
 

“Os leitos de UTI vêm cumprindo um papel fundamental no enfrentamento à Covid e a gente conseguiu evitar que aqui no Recife víssemos situações que foram vividas em outros locais do mundo e do Brasil, em que os profissionais de saúde tiveram que fazer a escolha de qual paciente vai ficar sem atendimento. Isso tudo foi evitado aqui e essa reorganização vai possibilitar realocar profissionais e equipamentos para esses novos leitos de UTI”, destacou o prefeito Geraldo Julio ao anunciar as mudanças.

Nas últimas semanas, após reduzir a porcentagem do total de casos do Estado de 54% para 21%, o Recife desativou um total de 300 leitos de enfermaria e abriu 53 de UTI. Segundo a Secretaria de Saúde do Recife (Sesau), a demanda maior na atual situação da pandemia de coronavírus é por leitos de terapia intensiva.

O secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, explicou a importância do atendimento especializado nos casos mais graves de Covid-19. “A reorganização da rede de saúde do Recife neste momento fortalece os leitos de maior complexidade, que são os leitos de UTI. Quando o paciente de Covid complica e às vezes em casos muito graves, envolve muitos órgãos, como inflamação de pulmão, pode envolver os fenômenos de coagulação do sangue, inclusive com complicações renais. No leito de terapia intensiva, além da entubação que usa o respirador mecânico, este leito conta com a equipe”.

Veja também

Fogos em nove fazendas destruíram 141 mil hectares no Pantanal
Pantanal

Fogos em nove fazendas destruíram 141 mil hectares no Pantanal

China promete neutralidade em carbono até 2060
Meio Ambiente

China promete neutralidade em carbono até 2060