A-A+

Recife alcança aumento de 200% de rotas cicláveis

Os projetos priorizam espaços comunitários e de interesse público, como parques e mercados

Rota ciclávelRota ciclável - Foto: Andrea Rego Barros/divulgação/PCR

Durante todo o mês de maio, a Campanha Maio Amarelo lembrou sobre a necessidade da atenção no trânsito para prevenção de acidentes nas vias. De acordo com dados registrados nos boletins de ocorrência de trânsito da CTTU, em 2018, o número de acidentes de trânsito com vítimas envolvendo ciclistas representa 6,6% do total do ano. Também segundo o órgão, o uso da bicicleta tem aumentado devido aos investimentos da Prefeitura do Recife em uma política de mobilidade consciente, que dá cada vez mais autonomia e segurança ao cidadão para escolha do modal mais adequado.

Desde 2013, a CTTU tem investido massivamente na implantação de rotas cicláveis pelo Recife. Desde então, a malha cicloviária aumentou em mais de 200%, crescendo de 24 km em 2013 para 72 km em 2019. Essas rotas podem ser compostas por ciclorrotas, ciclofaixas ou ciclovias. As ciclorrotas são vias compartilhadas entre as bicicletas e os demais veículos. Nesses casos, a velocidade máxima regulamentada na via sempre é reduzida a 30 km/h e a sinalização vertical indica que existem bicicletas transitando na via para que os veículos respeitem um ao outro. Nas ciclofaixas, o espaço é reservado exclusivamente para o ciclista e a sinalização é composta por pintura horizontal e implantação de tachões e placas. Já nas ciclovias, o espaço utilizado por ciclistas e condutores é isolado para o acesso apenas desse público.

De acordo com Antônio Henrique, gestor de Unidade de Mobilidade Sustentável da CTTU, o tipo de rota ciclável é escolhido de acordo com a estrutura da via. “Nós desenvolvemos os projetos de acordo com a geometria da via para que os demais modais não tenham a sua mobilidade prejudicada, especialmente o transporte público, que atende um número maior de cidadãos. Se a via é mais estreita, optamos pela ciclorrota, se é mais larga, mas existe necessidade de embarque e desembarque de passageiros, por exemplo, desenvolvemos uma ciclofaixa”, explicou o gestor.

Leia também:
CTTU lança Revista Coquetel sobre o trânsito em alusão ao Maio Amarelo
Maio Amarelo: Confira as dicas da CTTU para a credencial de estacionamento especial


No Bairro do Recife, por exemplo, um polígono de 22 vias forma a Zona 30, espaços de ciclorrotas com toda a velocidade regulamentada em 30 km/h para os diversos modais circularem em espaço compartilhado. Para além das medidas tomadas pela PCR, a CTTU também orienta que os ciclistas e demais motoristas devem ter cuidado e respeito no trânsito, para garantir um espaço seguro para todos.

O coordenador do Programa de Educação para o Trânsito da CTTU, Francisco Irineu, reforça essa ideia e diz, ainda, que é importante que o ciclista se mantenha visível na via. “A principal dica que podemos dar ao ciclista é que ele se mantenha visível para os demais motoristas, seja na faixa que ocupa, porque é importante se manter nas faixas da direita, que têm menos velocidade; ou no sentido que anda, pois os condutores de veículos motorizados têm mais facilidade para identificar o ciclista quando ele está no mesmo sentido que os demais veículos”, disse o professor.

Confira, abaixo, outras dicas para segurança do ciclista:

- Procurar se manter no mesmo sentido dos carros na via, nunca utilizar a contramão, pois isso atrapalha a visibilidade dos motoristas;
É comum que os ciclistas andem na contramão com o intuito de se fazer mais vistos pelos motoristas de automóveis, entretanto, essa conduta atrapalha a visibilidade, porque os condutores não esperam um veículo passando na contramão. Por isso, é importante que o ciclista siga no sentido dos carros.

- Priorizar roupas claras para se manter visível pelos outros condutores;
As roupas escuras, especialmente durante a noite, são mais difíceis de ser vistas. Por isso, recomenda-se que os ciclistas utilizem roupas claras para serem melhor percebidos pelos motoristas de veículos maiores.

- Optar por caminhos que possuam rotas cicláveis e respeitar o sentido da rota;
O Recife tem espaço para diversos modais. Muitas vezes, nas vias principais, estão colocados equipamentos de Faixa Azul, para transporte público, calçadas maiores para os pedestres e não cabe uma rota ciclável naquele espaço. Nesses casos, a CTTU opta por inserir as rotas cicláveis em vias laterais. É importante que o ciclista conheça as localidades desses equipamentos para se mover com mais segurança.

- Andar nas faixas da direita;
Diversos acidentes com ciclistas podem ser evitados ou com os danos minimizados se os ciclistas andarem na faixa da direita, que tem a menor velocidade na via;

- Sinalizar com a mão quando for fazer o giro nas vias;
Se for necessário mudar de faixa ou fazer algum giro na via, é importante que o ciclista sinalize e avise isso aos motoristas que estão no local para não surpreender os condutores.

- Nunca andar nas calçadas para não comprometer a segurança dos pedestres;
De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), os veículos maiores devem cuidar dos menores e todos devem priorizar pela segurança do pedestre. Por isso, assim como os demais veículos devem respeitar a bicicleta, os ciclistas devem respeitar os pedestres e não utilizar as calçadas.

Veja também

ONU faz alerta sobre relação entre clima e segurança
CLIMA

ONU faz alerta sobre relação entre clima e segurança

Educadores do Detran-PE dão dicas de segurança a motociclistas em Camaragibe
Semana Nacional de Trânsito

Educadores do Detran-PE dão dicas de segurança a motociclistas em Camaragibe