Recife e Medellín unidas para políticas sobre drogas

Nesta sexta (29), será apresentada estratégia de aproximação das cidades de Recife e Medellín para troca de experiências exitosas no enfrentamento às drogas

Flagrantes de consumo da droga a céu aberto são constantes na rua Vigário Tenório. Também há relatos de assaltosFlagrantes de consumo da droga a céu aberto são constantes na rua Vigário Tenório. Também há relatos de assaltos - Foto: Anderson Stevens

Está prevista para esta sexta-feira (29), às 9h, no Paço do Frevo, Bairro do Recife, a apresentação de um memorando de entendimento e cooperação técnica entre as cidades do Recife e de Medellín, na Colômbia, para a área de políticas sobre drogas. A expectativa é de que a parceria alinhe metodologias e promova troca de tecnologias e experiências sobre o tema.

O secretário executivo de Políticas sobre Drogas do Recife (SPOD), André Sena, destacou que este é o primeiro passado de uma aproximação importante das duas cidades, que compartilham realidades sociais muito próximas. “O que Medellín tem de mais importante é a capacidade de integração das secretarias (no tema de drogas) e a criação de estratégias que ultrapassam as gestões, com programas que duram 12 anos, 16 anos. Outro pronto é a capilaridade deles nos cuidados de idosos e crianças”, comentou Sena.

Leia também:
Pernambuco muito longe de se igualar Medellín
Jungmann defende distinção entre traficante e usuário de drogas


Entre os cases de sucesso de lá que podem ser replicados na capital pernambucana está o projeto de granjas profissionalizantes para moradores de rua.  O secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti, contou que a integração entre as cidades renderá bons frutos para ambas. “Medelín é o melhor laboratório de enfrentamento à violência que temos. O nosso Compaz, por exemplo, foi inspirado em uma iniciativa de lá”, disse.

Após a apresentação das intenções de convênios entre as duas cidades, a SPOD apresentará o Projeto Farol Social. A estratégia tem a finalidade de promover Adoção Social, através de orientação e suporte psicoeducacional aos residentes em acolhimento terapêutico por dependência química e a seus familiares. “Além de preparar o usuário ou ex-usuário para voltar para o território, precisamos trabalhar a família para recebê-los. Estamos na fase de piloto, com dez usuários atendidos nessa primeira experiência”, contou Sena. As apresentações do convênio com Medelín e a apresentação do Farol Social fazem parte da programação da Semana de Políticas Públicas sobre Drogas da Capital.

Veja também

É preciso suplementar para treinar musculação?
Saúde e Bem-Estar

É preciso suplementar para treinar musculação?

Após denúncia de som alto, quatro são detidos por perturbação do sossego e desacato no Recife
Recife

Após denúncia de som alto, quatro são detidos por perturbação do sossego e desacato no Recife