A-A+

Acolhimento

Recife lança edital com 200 vagas para acolher população em situação de rua em hotéis e pousadas

Objetivo da iniciativa é promover medidas para prevenir e mitigar riscos e agravos sociais decorrentes da disseminação da Covid-19

Consultório na RuaConsultório na Rua - Foto: Marcos Pastich/PCR

A Prefeitura do Recife publicou, no Diário Oficial do Município deste sábado (24), aviso de credenciamento para oferta de 200 vagas de hospedagem para acolhimento de população em situação de vulnerabilidade e risco social.

A publicação visa cadastrar estabelecimentos da rede de hotelaria, entre pousadas e hotéis.

O objetivo da iniciativa é promover medidas para prevenir e mitigar riscos e agravos sociais decorrentes da disseminação da Covid-19.

O Programa Recife Acolhe pretende garantir ampliação e reforço das ações socioassitenciais já existentes, além de viabilizar a execução de novos projetos nos eixos de moradia, segurança alimentar, empregabilidade, doações e ações institucionais.

Inicialmente, o investimento estimado do município na contratação de empresas para a oferta de vagas de acolhimento é de até R$ 3,6 milhões por 180 dias, podendo ser prorrogado, a critério da Secretaria. Neste valor, está contido o gasto estimado da diária por cada uma das 200 vagas ofertadas, que é de, no máximo, R$ 100.

Dentre as demais exigências para a execução do serviço, estão: acomodar hóspedes em cômodos individuais ou compartilhados, garantindo distanciamento seguro devido à atual situação sanitária, e ofertar 5 refeições diárias servidas no próprio estabelecimento.

O edital completo pode ser acessado na página da Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos, Juventude e Políticas Sobre Drogas a partir da segunda-feira (26).

Para participar da seleção de pessoa jurídica, o interessado deve enviar, a partir da segunda-feira (26), a documentação exigida no edital para o e-mail [email protected].

As empresas credenciadas deverão ofertar no mínimo cinco vagas e acolher apenas as pessoas encaminhadas pelo pelos serviços da Assistência Social do município, como o Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS) ou Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP).

Veja também

Crise hídrica não é causa de apagão em Minas e no Rio, dizem ONS e ministério
Apagão

Crise hídrica não é causa de apagão em Minas e no Rio, dizem ONS e ministério

Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes
Coronavírus

Covid-19: Brasil registra 21,2 milhões de casos e 590,7 mil mortes