A-A+

Recife registra o esperado para quase 10 dias de chuva em 6 horas; prefeito faz alerta

A Prefeitura do Recife orienta que os cidadãos deixem as áreas de risco

Chuvas no RecifeChuvas no Recife - Foto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Em apenas seis horas nesta quinta-feira (13) choveu o esperado para quase dez dias em relação à média histórica para o período no Recife. Nas seis horas contadas até o meio-dia foram registrados 117 milímetros de precipitação na capital pernambucana, segundo dados da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac). A média histórica do mês de junho é de 389,6 mm. Ainda de acordo com a agência, choveu 150 mm em 12 horas.

A Prefeitura do Recife orienta que os cidadãos deixem as áreas de risco. "Esses números podem superar a maior chuva que tivemos, que foi em junho de 2015. Estamos com mais de mil pessoas nas ruas trabalhando", afirmou o prefeito Geraldo Julio em vídeo divulgado pela assessoria de comunicação. Do total de servidores nas ruas, 350 são da Defesa Civil do Recife, que monitoram 9 mil pontos na cidade.

Leia também:
Chuvas fecham túnel no Pina, na Zona Sul do Recife
Chuvas devem persistir com raios e ventos fortes até esta sexta, diz Inmet


"Nesse momento não fiquem em área de risco. Preservar a vida é o mais importante. Vamos continuar monitorando", acrescentou Geraldo. A Prefeitura do Recife ainda informou que as aulas nos turnos da tarde e da noite das 310 escolas da rede municipal estão suspensas. As 178 unidades de saúde da Capital funcionam normalmente.

Assista ao vídeo com o alerta do prefeito:



A Defesa Civil informou que houve 16 deslizamentos de barreiras na Capital durante o dia. Em caso de emergência, os moradores do Recife devem acionar o órgão através do 0800.081.3400. A ligação é gratuita e a Central de Atendimento funciona 24h.

Olinda
Em Olinda, na Região Metropolitana do Recife, a Defesa Civil elevou o grau de alerta nas áreas de risco de deslizamento e nos locais com pontos de alagamentos. Segundo a prefeitura, o volume acumulado de chuvas na cidade é o equivalente ao esperado para cerca de dez dias. O bairro de Aguazinha registrou o maior acúmulo de água nas seis horas contabilizadas até o meio-dia, com 121,96 milímetros.

A Defesa Civil registrou três movimentações de massa, mas que não afetaram imóveis. Os casos ocorreram na rua da Jaqueira, no bairro de Caixa d'Água, e nas ruas da Linha e Viena, ambas em Águas Compridas. Uma árvore tombou na rua Tupanatinga, em Cidade Tabajara. Já na rua Doutor Antônio Valença, em Caixa d'Água, um muro não suportou o peso do lixo jogado irregularmente no local e tombou derrubando um poste, segundo a prefeitura. Ninguém ficou ferido.

Equipes de prevenção de risco estão de prontidão nas áreas com maior concentração de pontos de risco. Moradores podem entrar em contato com a Defesa Civil, através dos contatos 3429.9898 ou 9.9266-5307, no WhatsApp. O atendimento é realizado de domingo a domingo, 24 horas por dia.

A chuva também deixou vários bairros da Capital alagados. Confira no vídeo:

Veja também

Saúde promove Dia "D" de vacina antirrábica na fronteira com a Bolívia
Saúde

Saúde promove Dia "D" de vacina antirrábica na fronteira com a Bolívia

Talibãs exibem corpos de sequestradores em cidade no Afeganistão
Mundo

Talibãs exibem corpos de sequestradores em cidade no Afeganistão