Vacinação

Recife registra movimentação tranquila nos centros de vacinação exclusivos para crianças

O grupo conta com quatro centros de vacinação exclusivos na capital pernambucana

Vacinação de criançasVacinação de crianças - Foto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

A cidade do Recife iniciou a vacinação contra a covid-19 de crianças entre cinco e 11 anos, que tenham doenças neurológicas crônicas e/ou distúrbios do desenvolvimento neurológico, com prioridade para Síndrome de Down e Autismo. Neste primeiro domingo (16), o movimento foi tranquilo em alguns dos postos de vacinação para esse público. 

O grupo conta com quatro centros de vacinação exclusivos: na sede do Sest/Senat, no Porto da Madeira; Universidade Federal de Pernambuco, na Cidade Universitária; Faculdade Universo, na Imbiribeira; e Unicap, na Boa Vista. Após a imunização, as crianças precisam passar por um período de 20 minutos em uma sala de recreação, preparada especialmente para o período de observação após a aplicação da dose. 

No posto de vacinação da UFPE a professora Jaqueline Gonçalves, de 42 anos, afirma que a dose do imunizante vai dar mais segurança para o filho Atos Murilo, de cinco anos e que tem paralisia cerebral. 

“Já aproveitei o primeiro final de Semana porque o medo da Covid é muito grande. Vacina significa vida, meu filho tem paralisia e isso pode agravar, porque pode ter problema para respirar. Estava esperando esse momento para imunizar meu filho”, disse.  

No posto de vacinação da Universo, na Imbiribeira, a  gerente de projetos, Aline Martins, de 43 anos, aproveitou o primeiro domingo para fazer o seu filho Gabriel Martins, de 11 anos e tem autismo e TDAH para ser imunizado. Segundo ela, a espera após a imunização na sala de recreação foi uma ação positiva para estimular a segunda dose. 

“É uma alegria enorme, é importante todos vacinados e a população tenha essa consciência. Esse tempo após da uma tranquilidade, como meu filho é autista ele sofre com atecedência, na segunda dose vai ser mais tranquilo e ele vai vir até com alegria, foi muito bem pensada essa ação”, disse. 

Para a psicóloga Renata Rodrigues, de 45 anos, o imunização vai trazer mais segurança para que seu filho Heitor Rodrigues, de 7 anos e tem autismo, possa frequentar as sessões de terapia mais tranquilo. 

“É um momento significativo e esperado. A gente não tem muita escolha em deixar ele em isolamento por conta das terapias e acompanhamentos que ele faz. É uma segurança para ele frequentar os locais de terapia e a escola, da uma proteção para ele”, contou. 

Como agendar 
O agendamento para este grupo está disponível no aplicativo do Conecta Recife e no site do Conecta Recife

Para comprovar a condição de comorbidade, é obrigatório anexar, durante o agendamento, um laudo ou declaração informando a comorbidade. O modelo da declaração da Secretaria de Saúde do Recife está disponível no Conecta Recife e deve ser preenchido e assinado por médico. Já o laudo médico das comorbidades e/ou transtornos elencados deve conter o respectivo CID (Classificação Internacional de Doenças) da doença/condição.

Os documentos anexados no Conecta Recife também devem ser levados no dia agendado para vacinação. Devem ser apresentados o original e a cópia (que ficará retida no local) da declaração ou laudo. Apenas as crianças com Síndrome de Down estão isentas da declaração, tendo em vista que a informação poderá ser autorreferida.

Veja também

Destruição em Gaza aumenta isolamento de Israel e põe em xeque aliança com os EUA, seu fiel aliado
MUNDO

Destruição em Gaza aumenta isolamento de Israel e põe em xeque aliança com os EUA, seu fiel aliado

Rússia anuncia novas conquistas territoriais na Ucrânia após dois anos de ofensiva
GUERRA NA UCRÂNIA

Rússia anuncia novas conquistas territoriais na Ucrânia após dois anos de ofensiva