Coronavirus

Reino Unido soma 32 mortos por coágulos em milhões de vacinados com AstraZeneca

De acordo com balanço divulgado nesta quinta (22) pela MHRA, a taxa de incidência è de 7,9 casos

Vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZenecaVacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca - Foto: Christof Stache / AFP

O órgão regulador britânico registrou 168 casos graves de coágulos sanguíneos no Reino Unido entre os milhões de pessoas que receberam a vacina da Covid-19 da AstraZeneca, 32 das quais morreram, de acordo com um balanço publicado nesta quinta-feira (22). 

Depois de analisar os dados disponíveis até 14 de abril, o MHRA estima, entretanto, que "os benefícios da vacina continuam a superar os riscos para a maioria das pessoas".        

A taxa de incidência é de 7,9 casos de coágulos por milhão de doses e os dados sugerem uma taxa maior em adultos mais jovens, elementos que, segundo o regulador, devem ser levados em consideração no uso do injetável. 

O comitê científico que supervisiona a campanha de vacinação britânica recomendou no início de abril limitar o uso da vacina AstraZeneca, quando possível, aos maiores de 30 anos. 

O medo do aparecimento desses raros casos de coágulos sanguíneos levou vários países europeus a reservar seu uso para as faixas etárias mais velhas.

Os casos de coágulos no Reino Unido, onde mais de 21,2 milhões de primeiras doses de AstraZeneca foram administradas, foram detectados em 93 mulheres e 75 homens. Um deles ocorreu com a segunda dose da vacina. 

O Reino Unido, o país mais enlutado da Europa, com mais de 127.000 mortes pela covid-19, lançou uma campanha de vacinação em massa com doses da AstraZeneca, Pfizer/BioNTech e Moderna. 

De acordo com os dados mais recentes, mais de 33 milhões de pessoas receberam a primeira dose e mais de 11 milhões a segunda.

Veja também

Ataques de Israel deixam mais mortos e destroem prédio da imprensa em Gaza
Conflito

Ataques de Israel deixam mais mortos e destroem prédio da imprensa em Gaza

Governo de Pernambuco decreta novas medidas restritivas para o Agreste
PANDEMIA

Governo de Pernambuco decreta novas medidas restritivas para o Agreste