Remador pernambucano é prata em Mundial de masters

Fernando Pinto, que competiu com argentina, ficou em segundo na prova Double Misto, em evento nos Estados Unidos

Fernando Pinto e a argentina Ana Paula BeronFernando Pinto e a argentina Ana Paula Beron - Foto: Cortesia

O advogado pernambucano Fernando Pinto, de 39 anos, se tornou o primeiro representante do Clube Náutico Capibaribe a figurar no pódio de um Campeonato Mundial de Remo. Isso aconteceu no último domingo (30), quando ele conquistou o vice-campeonato da prova Double Misto C (média de idade entre 43 e 50 anos) no Mundial Masters da modalidade, realizado em Sarasota, cidade localizada no estado norte-americano da Flórida. Fernando, que é remador desde a adolescência e buscava essa conquista para compor sua recheada galeria de troféus, teve como parceira a atleta Ana Paula Beron, da Argentina. Foi o melhor resultado de um pernambucano em um evento deste nível na modalidade. 

Leia também:
Remo: equipes travam batalha para conquistar jovens
Verdadeiros heróis mantêm o remo vivo no Recife

Onze vezes campeão nacional, sendo quatro na categoria Júnior e sete na Máster, Fernando tem ainda títulos sul-americano nas provas Four Skiff e Quatro-Sem, conquistados no ano passado, ao lado de Carlos Maurício Maux, Sérgio Marques e Marcos Antônio, todos competindo pelo Náutico. Embora o clube alvirrubro não dê subsídio necessário ao desenvolvimento do remo, que foi, inclusive, o esporte responsável pela sua fundação, tem uma equipe forte na categoria dos veteranos. Fernando, que passou um tempo competindo pelo Cabanga Iate Clube, retornou ao Náutico a convite do técnico Juca Borges. Juntos, fizeram um cronograma de treinos específicos para o sucesso no Mundial, trabalho que foi coroado com o pódio. “A importância dessa medalha se deve ao fato de ser uma conquista inédita para o remo de Pernambuco e do Náutico. O mundial de Masters é um evento extremamente importante, teve mais de dois mil atletas inscritos”, conta Fernando.

Veja também

AstraZeneca nega ter rejeitado reunião com UE sobre vacinas
RESPOSTA

AstraZeneca nega ter rejeitado reunião com UE sobre vacinas

Impactos do megavazamento de dados podem durar anos, diz especialista
Proteção de dados

Impactos do megavazamento de dados podem durar anos, diz especialista