A-A+

Representante da UE vê 'fadiga democrática' em triunfo de Bolsonaro

Moscovici apaontou que o ocorrido no pleito no Brasil faz parte de uma tendência de "retrocesso" nas democracias liberais "no mundo todo"

Pierre Moscovici, comissário europeu de Assuntos EconômicosPierre Moscovici, comissário europeu de Assuntos Econômicos - Foto: Frederick Florin / AFP

O comissário europeu de Assuntos Econômicos, o francês Pierre Moscovici, avaliou nesta segunda-feira (29) que o triunfo do presidente eleito Jair Bolsonaro se deve a uma espécie de "cansaço democrático", que vinculou com as sequelas da crise, da qual se aproveitou o próximo presidente do Brasil.

Em entrevista à emissora francesa Public Sénat, Moscovici disse que o ocorrido no pleito no Brasil faz parte de uma tendência de "retrocesso" nas democracias liberais "no mundo todo".

Leia também:
Estudo indica reposicionamento do voto do eleitor conservador
Merkel vai deixar o cargo de chanceler ao fim do mandato


Para o comissário europeu, Bolsonaro é um "democrata não liberal" porque foi eleito nas urnas. Segundo ele, o que está por trás da vitória é um cansaço pelos efeitos da crise e, em particular, pelo agravamento das desigualdades, afirmou o político socialista francês, que fez um pedido aos democratas "sinceros". "É preciso arregaçar as mangas e atacar as desigualdades que causam prejuízo ao povo e o conduz a apostas que depois são perigosas."

Veja também

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano
Coronavírus

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais
RECIFE

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais