Representantes da sociedade assinam manifesto contra Bolsonaro

Manifesto Democracia Sim reúne representantes da sociedade civil de posicionamentos políticos distintos para se posicionarem à favor da democracia e contra Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro (PSL)Jair Bolsonaro (PSL) - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Mano Brown, Bela Gil e Drauzio Varella são algumas das personalidades que assinaram um manifesto contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL). O manifesto "Democracia Sim" se inicia afirmando que "temos trajetórias pessoais e públicas variadas. Votamos em pessoas e partidos diversos. Defendemos causas, ideias e projetos distintos para nosso país, muitas vezes antagônicos. Mas temos em comum o compromisso com a democracia."

Representantes de diversos setores da sociedade civil assinaram o manifesto, dentre eles estão a museóloga Beth Pessoa, o pesquisador Carlos Nobre, a atriz Cláudia Abreu, a cartunista Laerte, a socióloga Maria Alice Setubal, o engenheiro florestal Tasso Azevedo, o publicitário Washington Olivetto, o rapper Xis e o apresentador Zeca Camargo.

"É preciso dizer, mais que uma escolha política, a candidatura de Jair Bolsonaro representa uma ameaça franca ao nosso patrimônio civilizatório primordial. É preciso recusar sua normalização, e somar forças na defesa da liberdade, da tolerância e do destino coletivo entre nós", afirma o manifesto.

Leia também:
Cantora Anitta entra em campanha contra Bolsonaro
Campanha contra Bolsonaro ganha apoio de celebridades internacionais


#EleNão
Enquanto isso, a cantora Daniela Mercury deu inicio a um desafio, no Instagram, para que outros artistas nacionais participem da campanha #EleNão e se posicionem contrário a Jair Bolsonaro. A campanha teve início com um vídeo de Mercury desafiando Anitta, que havia se envolvido em polêmicas nas redes sociais sobre seu posicionamento em relação ao candidato do PSL.

Em resposta, Anitta aderiu à campanha e se disse à favor da democracia e contra o machismo, racismo e homofobia, num vídeo que atingiu mais de 3,2 milhões de visualizações até a publicação desta matéria. Ela deu continuidade ao movimento desafiando Ivete Sangalo, Claudia Leite e Preta Gil.

A cantora Marília Mendonça também aderiu à campanha e alertou para a importância da mulher se posicionar politicamente contra o preconceito, destacando sua trajetória de luta contra o machismo no mercado musical sertanejo.

Veja também

Nos últimos dois meses, Pernambuco perdeu mais de 100 pessoas por semana para a Covid-19
Pandemia

Nos últimos dois meses, Pernambuco perdeu mais de 100 pessoas por semana para a Covid-19

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas
Terrorismo

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas