Roberto Freire passa por saia justa ao entregar Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar

Ministro da Cultura foi vaiado ao defender o governo Michel Temer

Roberto Freire entregando o Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar Roberto Freire entregando o Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar  - Foto: Divulgação

O ministro da Cultura, Roberto Freire, passou por uma saia justa na manhã desta sexta-feira (17), em São Paulo, quando acorreu a entrega do Prêmio Camões de Literatura ao brasileiro Raduan Nassar, de 81 anos. Ao fazer uso da palavra, o escritor fez críticas ao governo de Michel Temer.

“Infelizmente nada é tão azul no nosso Brasil. Vivemos tempos sombrios", disse o escritor, que recebeu como prêmio o valor de 100 mil euros. Ele ainda agradeceu a presença de Freire, a quem se referiu como "ministro do governo em exercício", causando uma situação constrangedora. “O golpe estava consumado, não há como ficar calado”, sentenciou embalado por aplausos da plateia e gritos de “fora temer”.

Após o fim do discurso de Nassar, o ministro Roberto Freire se manifestou. "Estamos vivendo um momento democrático e que é muito diferente do período de ditadura". Foi vaiado pelo público, mas ainda assim, continuou e disse que a narrativa do golpe de "estultice". Disse ainda que "o prêmio é dado pelo governo democrático brasileiro e não foi rejeitado" pelo autor.

O Camões é concedido pelos governos de Brasil e Portugal, e foi oferecido a Raduan em maio, ainda durante o mandato de Dilma.

Veja também

Vacina da Fiocruz Minas e UFMG avança em testes de laboratório
coronavírus

Vacina da Fiocruz Minas e UFMG avança em testes de laboratório

'Diálogo que Transforma' é o tema da sétima edição do “Brazil Conference at Harvard & MIT”
TV AURORA

'Diálogo que Transforma' é o tema da sétima edição do “Brazil Conference at Harvard & MIT”