Roland Garros não será realizado se não puder ter público, diz ministra

No momento, eventos esportivos com pelo menos 5.000 pessoas estão expressamente proibidos até setembro na França

Espanhol Rafael Nadal já levantou 11 vezes a taça de campeão em Roland Garros. Espanhol Rafael Nadal já levantou 11 vezes a taça de campeão em Roland Garros.  - Foto: Thomas Sanson/AFP

O torneio de Roland Garros, um dos mais importantes do Grand Slam, só será realizado este ano se autoridades sanitárias permitirem a entrada de público, informou no sábado (2) a ministra francesa do Esporte, Roxana Maracineanu. O mesmo vale para a tradicional competição de ciclismo Tour de France. "Esses eventos exigem espectadores para gerar bilheterias. Eles estão suspensos enquanto não houver autorização para público", explicou a ministra, segundo o portal "UbiTennis".

No momento, eventos esportivos com pelo menos 5.000 pessoas estão expressamente proibidos até setembro na França. No mundo, os torneios oficiais de tênis têm previsão de reinício em 13 julho, mas essa data ainda pode ser postergada. Segundo a ministra, junho ainda é a o cenário ideal para a liberação de competições esportivas na França, mas o país espera pelo pior, com a retomada em setembro ou, possivelmente, apenas no ano que vem.

"Se eventos como Roland Garros e Tour de France não encontrarem novas datas, não será o fim do mundo. É certamente o fim de muitas coisas respaldadas pela renda que geram. Temos que nos reinventar se o ano for perdido", concluiu a ministra.

Leia também:
Roland Garros muda de data e será disputado no fim de setembro
Federer opera joelho, perde Roland Garros e só deve voltar em junho

Veja também

Caape ganha sede nova no prédio da OAB-PE
RECIFE

Caape ganha sede nova no prédio da OAB-PE

Explosão em subestação de energia deixa dois feridos em prédio do DNIT e da PRF no Pina
Recife

Explosão em subestação de energia deixa dois feridos em prédio do DNIT e da PRF no Pina