Ucrânia e Rússia

Rússia anuncia 'aproximação de posições' com Ucrânia

Segundo autoridades ucranianas, as delegações estão "na metade do caminho" de um acordo sobre o assunto

Presidentes de Rússia e Ucrânia, Vladimir Putin e Volodimir ZelenskyPresidentes de Rússia e Ucrânia, Vladimir Putin e Volodimir Zelensky - Foto: Handout/Russian Presidential Press Office/AFP e Ukraine Presidency/AFP

O chefe da delegação russa nas negociações com a Ucrânia observou uma "aproximação" de posições sobre o status de neutralidade da Ucrânia, e avanços na desmilitarização daquele país, anunciou nesta sexta-feira.

"O tema do status de neutralidade da Ucrânia e a sua não adesão à Otan é um dos pontos-chave das negociações, é o ponto em que as partes aproximaram ao máximo suas posições", disse Vladimir Medinsky, citado pelas agências russas. No entanto, ele apontou "nuances" nas "garantias de segurança" exigidas pela Ucrânia.

"No que diz respeito à desmilitarização, eu diria 50/50", comentou Medinsky, que disse não poder revelar detalhes sobre as negociações. Segundo ele, as delegações estão "na metade do caminho" de um acordo sobre o assunto.

Um dos membros da delegação ucraniana, o conselheiro presidencial Mykhailo Podoliak, publicou no Twitter que "as declarações da parte russa são apenas o início das suas exigências. Nossa posição não mudou: cessar-fogo, retirada das tropas (russas) e fortes garantias de segurança, com fórmulas concretas", ressaltou. 

Moscou mantém negociações com Kiev e exige do governo ucraniano um status de neutralidade, como o da Suécia e Áustria. Também pede à Ucrânia que descarte uma adesão à Otan, além da desmilitarização e "desnazificação" daquele país.

Veja também

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle
Família real

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid
Negacionismo

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid