Internacional

Rússia diz que sanções podem provocar a queda da Estação Espacial Internacional

Chefe da agência espacial russa diz que operação dos foguetes russos que abastecem a ISS será prejudicada pelas sanções

Estação Espacial InternacionalEstação Espacial Internacional - Foto: Reprodução/Internet

As sanções ocidentais contra a Rússia podem derrubar a Estação Espacial Internacional (ISS), disse Dmitri Rogozin, chefe da agência espacial russa Roscosmos, neste sábado (12). 

Segundo ele, a operação dos foguetes russos que abastecem a ISS será prejudicada pelas sanções, que terão impacto no segmento russo da estação, que é usado principalmente para corrigir a órbita. Portanto, isso poderia causar o "splashdown ou pouso da ISS, que pesa 500 toneladas". 

"O segmento russo observa que a órbita da estação é corrigida (em média onze vezes por ano), também para evitar detritos espaciais", explicou Rogozin, que costuma mostrar seu apoio ao exército russo nas redes sociais.

Publicando um mapa do mundo, o chefe da Roscosmos disse que se a ISS caísse, a Rússia estaria protegida.

"Mas as populações de outros países, especialmente as lideradas pelos 'cães de guerra' (países ocidentais, ndlr) devem pensar no preço das sanções contra a Roscosmos", escreveu ele, chamando de "loucos" aqueles que impuseram essas medidas punitivas. 

Em 1º de março, a Nasa indicou que estava trabalhando para encontrar soluções para manter a estação em órbita sem a ajuda da Rússia.

As tripulações e suprimentos são transportados neste segmento por foguetes Soyuz e navios Progress para transporte de alimentos e mercadorias, ambos russos.

Rogozin explicou que o lançador necessário para que esses foguetes cheguem ao seu ponto é afetado "pelas sanções dos EUA desde 2021 e pelas sanções da União Europeia (UE) e do Canadá desde 2022". 

A Roscosmos alega que apelou a seus parceiros americanos (Nasa), canadenses (ASC) e europeus (ESA) "exigindo o fim das sanções ilegais contra nossas empresas". 

O espaço é um dos mais recentes campos de cooperação entre a Rússia e os Estados Unidos.

No início de março, a Roscosmos anunciou sua intenção de priorizar a construção de satélites militares, devido ao crescente isolamento da Rússia do conflito. 

Rogozin também anunciou que a Rússia não forneceria mais aos Estados Unidos motores para seus foguetes Atlas e Antares. 

"Mande-os para o espaço em suas vassouras", disse ele.

Em 30 de março, o astronauta Mark Vande Hei e os dois cosmonautas Anton Shkaplerov e Pïotr Dubrov retornarão à Terra da ISS em um foguete Soyuz.

Veja também

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle
Família real

Casa real britânica não divulgará relatório de "assédio" de Meghan Markle

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid
Negacionismo

YouTube tira do ar o canal da Assembleia Legislativa de SP após vídeo negacionista sobre Covid