Invasão na Ucrânia

Rússia tomou o controle da usina de Chernobyl

A Ucrânia anunciou, nesta quinta-feira (24), que as forças russas tomaram a usina nuclear de Chernobyl após uma batalha "feroz" no primeiro dia da ofensiva russa

Usina Nuclear em ChernobylUsina Nuclear em Chernobyl - Foto: Sergei Supinsky / AFP

A Ucrânia anunciou nesta quinta-feira (24) que as forças russas tomaram a usina nuclear de Chernobyl após uma batalha "feroz" no primeiro dia da ofensiva russa contra o país vizinho, que fez parte da extinta União Soviética.

"Depois deste ataque absolutamente insensato dos russos, não é possível dizer que a usina nuclear está a salvo. Essa é uma das maiores ameaças para a Europa atualmente", disse o conselheiro-chefe do gabinete do presidente, Mijailo Podoliak, depois que o governo anunciou que havia combates próximos ao depósito de resíduos nucleares da usina acidentada em 1986.

Após a perda de controle desta área, altamente contaminada, não se sabe o estado das instalações da usina, da cobertura que isola o reator danificado e de um depósito para combustível nuclear, disse o alto funcionário.

"Depois deste ataque absolutamente sem sentido dos russos, não é possível dizer que a usina nuclear está a salvo", acrescentou Podoliak.

"Esta é uma das maiores ameaças à Europa hoje", disse ele, estimando que os russos poderiam organizar atividades "provocativas" no local para culpar a Ucrânia.

Esta usina sofreu o pior acidente nuclear da história em 26 de abril de 1986, quando um dos reatores explodiu em um período em que a Ucrânia fazia parte da União Soviética.

O desastre que contaminou três quartos da Europa atingiu especialmente Ucrânia, Rússia e Belarus.

Após o acidente nesta usina localizada a cem quilômetros de Kiev, 350.000 pessoas tiveram que ser evacuadas em um perímetro de 30 quilômetros ao redor da usina e ainda há controvérsias sobre o saldo de vítimas.

Veja também

Sonda americana Odysseus pode ter pousado de lado
TECNOLOGIA

Sonda americana Odysseus pode ter pousado de lado

Após decisão da Justiça, mulher com doença degenerativa terá aparelhos que a mantêm viva desligados
PERU

Após decisão da Justiça, mulher com doença degenerativa terá aparelhos que a mantêm viva desligados