CARNAVAL

Saiba quem é o Papangu, símbolo e tradição do Carnaval de Bezerros, no Agreste

Manifestação cultural surgiu ainda no século 19 e, atualmente, toma as ruas da cidade com pessoas fantasiadas com máscaras e vestimentas brilhantes

Carnaval dos Papangus, em BezerrosCarnaval dos Papangus, em Bezerros - Foto: GECOM/PMB/Divulgação

Bezerros, no Agreste de Pernambuco, a 104 km do Recife, pode ser considerada um dos principais polos carnavalescos do Estado. Muito disso vem da tradição cultural dos Papangus, que tomam as ruas todos os anos, com roupas e máscaras coloridas, e atraem milhares de foliões em busca de um Carnaval diversificado. 

A tradição dos Papangus, que são Patrimônio Cultural Imaterial do Estado, não é de hoje. De acordo com o artista plástico e carnavalesco Robeval Lima, que coordena também o Museu do Papangu de Bezerros, as figuras começaram a sair em cortejo nas ruas do município ainda no século 19.

“Na época da escravatura, as pessoas faziam banquetes e os escravos não podiam participar. Segundo informações, essas pessoas se mascaravam, colocavam fantasias rudimentares e saíam pelas ruas brincando e entravam nas casas de pessoas, pedindo angu de milho. Eles comiam tanto que ficaram conhecidos como 'papa-angu', o que, posteriormente, se tornou os Papangus”, afirmou.

No início, as saídas eram uma forma de resposta aos senhores de engenhos e seus eventos de elite. “Somente com o passar dos anos que essa maneira de se manifestar se tornou uma brincadeira”, explicou o carnavalesco.

Foi somente a partir dos anos 1990 que a tradição dos Papangus passou a ser difundida como uma brincadeira de Carnaval, até se transformar nos desfiles de hoje em dia. Antes disso, produzirem máscaras e roupas sem apelo para a parte estética, eles chegavam a ser motivo de pesadelos para as crianças.

“Antigamente, para crianças, os papangus eram assustadores, inclusive para mim também. Mas com a evolução das vestimentas, quando trouxeram mais cor, brilho, lantejoulas, e até um sorriso para o papangu, isso mudou. Agora eles saem todos os anos no Carnaval com bastante adereços e brilho, sempre com uma evolução e coisas diferentes”, destacou.

Tradição zela pelo anonimato
Nas primeiras fantasias, por não terem condições financeiras, essas pessoas faziam máscaras com coité, um fruto da região, e se vestiam com roupas esfarrapadas, muito longe das vestimentas coloridas e brilhantes de hoje.

Com o tempo, passaram a manufaturar máscaras confeccionadas com papel de embrulhar charque, ainda de maneira simples. Na terceira fase, passaram a utilizar máscaras de tecido, produzidas com fronhas de travesseiro. Após isso, as primeiras cores chegaram, com máscaras de papel colê. Na quinta fase, surgiu o "Cabeção", que se trata de uma máscara com grandes ornamentos na parte superior. 

Por fim, na sexta fase, nasceram as máscaras de papel machê, utilizadas hoje em dia. O objetivo, de acordo com Robeval Lima, é manter, acima de tudo, o anonimato na brincadeira.

“Quando você está de máscara e coberto dos pés à cabeça, você ganha um anonimato, até poder, de certa maneira. As pessoas modificam o andar, a voz, tudo para não serem reconhecidos, sejam homens ou mulheres. O ponto é ficar escondido para que ninguém saiba. Eu mesmo já saio há 40 anos, sempre em grupo, e nem a minha própria família sabe qual papangu eu era. Na minha família, já é tradição, trazida pelo meu avô, pais e tios. Fomos criando essa raiz”, explicou.

Máscara do PapanguMáscara de Papangu | Foto: Acervo/Museu do Papangu de Bezerros

Domingo com Concurso de Papangus
O ponto alto do Carnaval de Bezerros é, sem dúvidas, o Concurso de Papangus. Diversas pessoas desfilam pelas ruas da cidade e arrastam milhares de foliões no Carnaval. Como já é tradicional, neste ano, o cortejo acontece no domingo (11), com concentração na rua São Sebastião com destino à Praça Centenária, no centro do município, a partir das 9h.

“Todo mundo desce para o centro da cidade com os papangus. As pessoas aqui adoram”, disse o carnavalesco.

Veja, abaixo, a programação do Concurso de Papangus.
Domingo (11 de fevereiro)
Local: Cortejo da Rua São Sebastião rumo à Praça Centenária
Saída: 9h

Valorização cultural dos Papangus
Um dos papéis da vida de Robeval Lima é atuar na valorização cultural dos Papangus em Bezerros. Sua primeira experiência com a manifestação veio ainda quando criança, na companhia do pai, avô e tios, que já desfilavam.

Desde então, ele já saiu fantasiado cerca de 40 vezes. Ele também é um dos fundadores do Museu do Papangu, espaço aberto em 2006 que reúne mais de 800 peças do personagem e funciona em Bezerros de terça a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita. 

“Eu vejo que a maioria das cidades tem uma identificação cultural. Em Bezerros, os papangus foram ficando fortes e trabalhamos bastante essa parte cultural. A gente tinha que ter um espaço onde existissem as máscaras, as fantasias do Papangu. Por isso que criei esse espaço, porque as pessoas querem conhecer a nossa cultura, e por isso criei o Museu”, começou.

“É muito importante a gente ter essa identificação, porque se falarem de Bezerros fora daqui, vão falar da cidade dos Papangus. Temos a preocupação de passarmos a história e costumes do papangu nas escolas, para os jovens, para que possamos valorizar a cultura e não deixá-la morrer”, completou.

Programação do Carnaval do Papangu
Para além da tradição do Carnaval do Papangu, Bezerros também preparou diversas atrações musicais para a sua população nas festas deste ano. Confira a programação completa abaixo.

Polo Lucas Cardoso - QG do Frevo - Sábado- 10/02/2024
16h - Folc Popular / Papanguarte
18h - Orquestra Cônego Alexandre Cavalcanti
20h - Márcio Dhuka
22h - Priscila Senna

Polo Lucas Cardoso - QG do Frevo - Domingo - 11/02/2024
10h - André Rio
12h - Henrique Barbosa
14h - Geraldinho Lins
16h - Grupo Revelação
18h - Lenine e Maestro Spok
20h - Ávine Vinny
22h - Excesso de Bagagem

Polo Lucas Cardoso - QG do Frevo - Segunda-feira - 12/02/2024
10h - Gustavo Travassos
12h - Clara Sobral
14h - Almir Rouche
16h - Elba Ramalho
18h - Mari Fernandez
20h - Lady Falcão
22h - Marreta You Planeta

Polo Lucas Cardoso - QG do Frevo - Terça-feira- 13/02/2024
10h - Banda Som Brasil
12h - Mega Play
14h - Silvana Salazar
16h - Rodrigo Raposo
18h - Marcão Noventta
20h - Zé Vaqueiro
22h - Patusco

Polo Mestre J. Borges - Cultural - Sábado- 10/02/2024
18h - Oficina Agreste Frevo
20h - Elifas Júnior

Polo Mestre J. Borges - Cultural - Domingo - 11/02/2024
10h - Morganna Bernardo
12h - Bruninho Lima
14h - Benil
16h - Ciel Santos
18h - Nego Thor
20h - Anderson Alves

Polo Mestre J. Borges - Cultural - Segunda-feira - 12/02/2024
10h - Oficina Agreste Frevo
12h - Banda Pinguim
14h - Carlinhos Melo
16h - Nena Queiroga
18h - Jamile Oliveira
20h - Forró dos Bossas

Polo Mestre J. Borges - Cultural - Terça-feira- 13/02/2024
10h - Orquestra Tupy
12h - Joãozinho do Acordeon
14h - Mazzamorra
16h - Banda Tipo 3
18h - Zé Barreto
20h - Bateria Cabulosa

Polo Mestre Lula Vassoureiro - Centenária - Domingo - 11/02/2024
09h - Concurso do Papangu
12h - Walter Lins
14h - Gerlane Lopes
16h - Michel Diniz
18h - Carlinhos Nova
20h - Wanessa Roger

Polo Mestre Lula Vassoureiro - Centenária -  Segunda-feira - 12/02/2024
10h - O Pelotão
12h - Luizinho Moreno
14h - Sertão Regado
16h - Mundo Livre S.A
18h - Amanda Leão
20h - Conde Só Brega

Polo Mestre Lula Vassoureiro - Centenária - Terça-feira- 13/02/2024
10h - Concurso do Papangu Infantil
12h - Samara Costa
14h - Kaio Lima
16h - Retrodac
18h - Banda Labaredas
20h - Walmir Lima

Polo Zezé e Zezita - Forró do Papangu - Domingo - 11/02/2024
09h - Forró Galega
10h - Banda de Pífanos de Bezerros
12h - Trio Lampião a Gás
14h - Nildo e seu Regional

Polo Zezé e Zezita - Forró do Papangu -  Segunda-feira - 12/02/2024
10h - Trio Chinelo de Palha
12h - Manoel da Concertina
14h - Dadal Forró de Três

Polo Zezé e Zezita - Forró do Papangu - Terça-feira- 13/02/2024
10h - Cabila e Tamborete de Forró
12h - Trio Kabras da Peste
14h - Renilda Cardoso

Polo Ronaldo Souto Maior - São Sebastião - Domingo - 11/02/2024
10h - Orquestra Frevo e CIA
12h - Orquestra do Biu
14h - Oficina Agreste Frevo
16h - Orquestra Zenóbio Torres
17h - André Melo e Banda

Polo Ronaldo Souto Maior - São Sebastião -  Segunda-feira - 12/02/2024
10h - Orquestra Frevart
12h - Orquestra do Raimundo
14h - Grupo Tô na Sua
16h - Fabio da GM e Vitinho Cabuloso
17h - Kelvis Duran

Polo Ronaldo Souto Maior - São Sebastião - Terça-feira - 13/02/2024
10h - Orquestra Frevo Serrano
12h - Orquestra Amigos do Frevo
14h - Grupo Nuwe
16h - Banda 100xtress

Polo Malvina Souto Maior - Espaço do Frevo - Domingo - 11/02/2024
09h - Orquestra Frevo no Pé
11h - Orquestra Frevart
13h - Orquestra Cabelo de Fogo
15h - Orquestra do Ronaldinho

Polo Malvina Souto Maior - Espaço do Frevo -  Segunda-feira - 12/02/2024
09h - Orquestra Magnatas
11h - Charanga Papangu
13h - Orquestra Zenóbio Torres
15h - Orquestra Amigos do Frevo

Polo Malvina Souto Maior - Espaço do Frevo - Terça-feira- 13/02/2024
09h - Orquestra do Biu
11h - Orquestra Frevo Mais
13h - Orquestra Vassourinhas
15h - Orquestra Tupy
 

Veja também

Moraes suspende lei municipal que proibia linguagem neutra nas escolas
EDUCAÇÃO

Moraes suspende lei municipal que proibia linguagem neutra nas escolas

OpenAI irá "pausar" voz comparada à de Scarlett Johansson
OpenAI

OpenAI irá "pausar" voz comparada à de Scarlett Johansson

Newsletter