Sargento Lia estava no helicóptero a convite da Helisae

Vítima do acidente com o Globocop deixa um filho de dois anos; ela faria 35 anos na quinta-feira e tinha 17 anos de experiência

Sargento Lia Maria Abreu de Souza, 34 anos Sargento Lia Maria Abreu de Souza, 34 anos  - Foto: Reprodução/WhatsApp

A sargento Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos - uma das duas vítimas fatais do acidente com o Globocop na manhã desta terça-feira (23) - não estava em missão oficial. Ela embarcou a convite da Helisae, algo comum de ocorrer segundo o capitão Wagner Ramos, dono da empresa de helicópteros. Segundo ele, com frequência controladores são convidados para esses sobrevoos.

"Nós sempre fazemos este tipo de voo envolvendo o jornalismo e as vezes é solicitado que a gente sobrevoe certas áreas. Então, sempre há uma forma de diálogo com os órgãos de controle para a gente atender tanto a televisão como também o controle aéreo. Por isso, a gente vem convidando o pessoal do controle como observadores para estarem no voo a fim de eles sentirem como é a nossa operação e para que a gente veja como eles operam. Foi por este motivo que a controladora estava no voo", explicou Wagner.

O corpo de Lia será velado na Casa Funerária Santa Rita de Cássia, em Santo Amaro, na área central do Recife. Segundo informações, o corpo seguirá à base aérea às 20h30 e chega ainda nesta terça (23) ao Rio de Janeiro.

Com 17 anos de atuação, Lia trabalhou em São Paulo e no Acre antes de vir para o Recife, onde estava há aproximadamente dois anos. A sargento, que faria 35 anos nesta quinta-feira (25), deixou um filho de 2 anos. A família dela mora no Rio de Janeiro. Eles e o ex-marido de Lia, que mora em Brasília, já foram informados do acidente.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que a 1ª sargento Lia Maria Abreu de Souza era do efetivo do Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta III). A nota diz ainda: "A militar participava do voo a convite da empresa Helisae e não estava em missão oficial da Aeronáutica. O Comando da Aeronáutica lamenta o ocorrido e, por meio do Cindacta III, está prestando todo o apoio necessário aos familiares da militar."

Entenda o acidente
O helicóptero modelo R44, de matrícula PP-HLI, da Helisae Helicópteros do Nordeste - terceirizada que opera o Globocop, da TV Globo - fazia imagens para a emissora quando caiu, às 6h05 desta terça-feira (23), na praia de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife. Três pessoas estavam na aeronave.

Leia também:
Helicóptero da Rede Globo cai no Recife; veja vídeo
Moradores dizem ter visto ave atingir helicóptero da Globo
[Galeria] Confira imagens da queda do helicóptero da Globo
[Galeria] Confira imagens da queda do helicóptero
[Vídeo] PF assumirá investigação de queda de helicóptero
Sobrevivente de queda de helicóptero tem quadro grave, porém estável
Destroços de helicóptero da Globo são localizados
Globo lamenta queda de helicóptero e declara solidariedade às famílias


O comandante Daniel Galvão, de 33 anos, morreu na hora. A controladora de tráfego aéreo sargento Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos - que viajava a convite da Helisae, não estava a serviço da Aeronáutica - chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Sobreviveu apenas o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, de 21 anos, foi socorrido e está em estado grave no Hospital da Restauração (HR). Saiba mais sobre as vítimas e o estado de saúde do sobrevivente.

Moradores dizem ter visto uma ave atingir helicóptero da Globo. A investigação sobre o caso será conduzida pela Polícia Federal. Em nota, a TV Globo lamentou o ocorrido e se solidarizou com as vítimas.

Veja também

Vila de Araçoiaba será beneficiada com obra de abastecimento de água
Grande Recife

Vila de Araçoiaba será beneficiada com obra de abastecimento de água

MPT recebe sugestões de ações de combate ao racismo
Reunião virtual

MPT recebe sugestões de ações de combate ao racismo