Sargento Lia estava no helicóptero a convite da Helisae

Vítima do acidente com o Globocop deixa um filho de dois anos; ela faria 35 anos na quinta-feira e tinha 17 anos de experiência

Sargento Lia Maria Abreu de Souza, 34 anos Sargento Lia Maria Abreu de Souza, 34 anos  - Foto: Reprodução/WhatsApp

A sargento Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos - uma das duas vítimas fatais do acidente com o Globocop na manhã desta terça-feira (23) - não estava em missão oficial. Ela embarcou a convite da Helisae, algo comum de ocorrer segundo o capitão Wagner Ramos, dono da empresa de helicópteros. Segundo ele, com frequência controladores são convidados para esses sobrevoos.

"Nós sempre fazemos este tipo de voo envolvendo o jornalismo e as vezes é solicitado que a gente sobrevoe certas áreas. Então, sempre há uma forma de diálogo com os órgãos de controle para a gente atender tanto a televisão como também o controle aéreo. Por isso, a gente vem convidando o pessoal do controle como observadores para estarem no voo a fim de eles sentirem como é a nossa operação e para que a gente veja como eles operam. Foi por este motivo que a controladora estava no voo", explicou Wagner.

O corpo de Lia será velado na Casa Funerária Santa Rita de Cássia, em Santo Amaro, na área central do Recife. Segundo informações, o corpo seguirá à base aérea às 20h30 e chega ainda nesta terça (23) ao Rio de Janeiro.

Com 17 anos de atuação, Lia trabalhou em São Paulo e no Acre antes de vir para o Recife, onde estava há aproximadamente dois anos. A sargento, que faria 35 anos nesta quinta-feira (25), deixou um filho de 2 anos. A família dela mora no Rio de Janeiro. Eles e o ex-marido de Lia, que mora em Brasília, já foram informados do acidente.

Em nota, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica informou que a 1ª sargento Lia Maria Abreu de Souza era do efetivo do Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta III). A nota diz ainda: "A militar participava do voo a convite da empresa Helisae e não estava em missão oficial da Aeronáutica. O Comando da Aeronáutica lamenta o ocorrido e, por meio do Cindacta III, está prestando todo o apoio necessário aos familiares da militar."

Entenda o acidente
O helicóptero modelo R44, de matrícula PP-HLI, da Helisae Helicópteros do Nordeste - terceirizada que opera o Globocop, da TV Globo - fazia imagens para a emissora quando caiu, às 6h05 desta terça-feira (23), na praia de Brasília Teimosa, na Zona Sul do Recife. Três pessoas estavam na aeronave.

Leia também:
Helicóptero da Rede Globo cai no Recife; veja vídeo
Moradores dizem ter visto ave atingir helicóptero da Globo
[Galeria] Confira imagens da queda do helicóptero da Globo
[Galeria] Confira imagens da queda do helicóptero
[Vídeo] PF assumirá investigação de queda de helicóptero
Sobrevivente de queda de helicóptero tem quadro grave, porém estável
Destroços de helicóptero da Globo são localizados
Globo lamenta queda de helicóptero e declara solidariedade às famílias


O comandante Daniel Galvão, de 33 anos, morreu na hora. A controladora de tráfego aéreo sargento Lia Maria Abreu de Souza, de 34 anos - que viajava a convite da Helisae, não estava a serviço da Aeronáutica - chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Sobreviveu apenas o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, de 21 anos, foi socorrido e está em estado grave no Hospital da Restauração (HR). Saiba mais sobre as vítimas e o estado de saúde do sobrevivente.

Moradores dizem ter visto uma ave atingir helicóptero da Globo. A investigação sobre o caso será conduzida pela Polícia Federal. Em nota, a TV Globo lamentou o ocorrido e se solidarizou com as vítimas.

Veja também

Covas anuncia reabertura de 70 parques em SP a partir de segunda
Notícias

Covas anuncia reabertura de 70 parques em SP a partir de segunda

Do Carmo e Armando Monteiro viveram 69 anos de amor e cumplicidade
Amor

Do Carmo e Armando Monteiro viveram 69 anos de amor e cumplicidade