Educação

Secretaria da Mulher lança projeto Jornada dos Núcleos de Estudos de Gênero em escolas do Estado

Os núcleos também incentivam debates sobre etnicidade, identidade e assuntos políticos

Apresentação do projeto na Escola Técnica Estadual do Porto DigitalApresentação do projeto na Escola Técnica Estadual do Porto Digital - Foto: Melissa Fernandes/ Folha de Pernambuco

A Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE) lançou, nesta sexta-feira (1º), o projeto Jornada dos Núcleos de Estudos de Gênero e Enfrentamento da Violência Contra a Mulher (NEGs). O evento de lançamento aconteceu na Escola Técnica Estadual Porto Digital, no bairro do Recife Antigo. 

O projeto Jornada vai percorrer as escolas nos municípios de Araripina, Petrolina, Salgueiro, Floresta, Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Garanhuns, Caruaru, Palmares, Limoeiro, Nazaré da Mata e do Recife com cursos, formação e integração com a rede de enfrentamento da violência contra a Mulher no Estado.

“É muito importante a gente falar sobre educação, pois é algo que previne. Isso na Secretaria da Mulher é visto como prioridade, principalmente com o intuito de desconstruir sociedades machistas”, disse Ana Elisa Sobreira, secretária da Mulher de Pernambuco. 

Ana Elisa Sobreira, secretária da Mulher de Pernambuco. Foto: Melissa Fernandes 

Atualmente, Pernambuco tem 256 núcleos de Estudo de Gênero espalhados por todo o Estado. Com o lançamento da jornada, o objetivo é chegar até 276, no primeiro mês, e 313 até o final do ano. Ana comentou que "esse momento está servindo para fortalecer os núcleos de estudos de gênero que já existem e ampliar por todo o Estado.”
 

Gabriela Borba, professora e coordenadora do Núcleo do Ginásio Pernambucano, ressaltou como o espaço contribui para o empoderamento tanto dos alunos quanto dos professores das escolas. 

“Mesmo que a discussão de gênero seja forte hoje em dia, as pessoas que estão em sala de aula enquanto professores não têm um preparo para entender os conceitos que são trabalhados em gênero. Muitas vezes o professor que coordena o núcleo ajuda a levar esse conhecimento não só para os estudantes, mas também para outros colegas da escola,” afirmou. 

Gabriela Borba, coordenadora do Núcleo de Estudos de Gênero do Ginásio Pernambucano. Foto: Melissa Fernandes/ Folha de Pernambuco

Elis Sacramento está no 2° ano do ensino médio e participa do Núcleo com a professora Gabriela. Ela considera o ambiente uma segunda casa onde “uma vez por semana se encontra para discutir sobre tudo”. 

Elis Sacramento, 16 anos. Foto: Melissa Fernandes/ Folha de Pernambuco

Além dos temas relacionados ao gênero, o núcleo debate etnicidade, identidade e os assuntos políticos atuais. “A educação é libertadora e para quebrar o ciclo de violência a gente precisa começar nas escolas,” disse Elis. 
 

Veja também

STF libera valor dos precatórios do Fundef destinado a professores de Pernambuco
Educação

STF libera valor dos precatórios do Fundef destinado a professores de Pernambuco

OMS investiga se rápida propagação da varíola do macaco se deve a mutações
MONKEYPOX

OMS investiga se rápida propagação da varíola do macaco se deve a mutações