A-A+

Secretário de Petrolina é baleado na cabeça em atentado

Suspeita da motivação do crime, segundo a prefeitura, é de que a troca da empresa de ônibus da cidade tenha motivado o crime

Secretário executivo de mobilidade de Petrolina, José Carlos AlvesSecretário executivo de mobilidade de Petrolina, José Carlos Alves - Foto: Reprodução/Blog do Carlos Britto

O secretário executivo da Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina (Ammpla) foi alvo de uma tentativa de homicídio na manhã desta quarta-feira (11) na cidade localizada no Sertão de Pernambuco. José Carlos Alves, 48 anos, foi baleado quando tirava o carro da garagem de casa para levar a filha, uma adolescente de 15 anos, para a escola. Zé Carlos, como é conhecido, foi atingido por quatro tiros, sendo dois na cabeça, um no tórax e outro no braço.

O crime ocorreu por volta das 6h50, no Condomínio Sol Nascente, localizado no bairro da Cidade Universitária. A suspeita, segundo a prefeitura, é de que a troca da empresa de ônibus de Petrolina tenha motivado o crime. As informações preliminares são de que apenas um suspeito teria cometido o atentado. Ele atirou pelo menos sete vezes na direção do secretário e fugiu a pé. Até a publicação desta reportagem, não havia sido preso.

Leia também:
Petrolina investe em 83 ônibus com acessibilidade e Wi-Fi para usuários da cidade
Petrolina gera 5.650 vagas até outubro

O secretário foi socorrido por um vizinho e encaminhado a um hospital particular de Petrolina. Por volta do meio-dia, José Carlos passou por cirurgia e, segundo a assessoria de Comunicação da prefeitura da cidade, se encontra em recuperação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após a retirada da bala que estava alojada na cabeça. Ele ainda prestou depoimento à polícia no hospital. O estado de saúde dele é estável. A alta médica está prevista para ser dada em uma semana.

Carro foi alvejado com pelo menos sete tiros

Carro foi alvejado com pelo menos sete tiros - Foto: Cortesia/WhatsApp

A motivação da tentativa de homicídio ainda é desconhecida. O secretário, o prefeito Miguel Coelho e outras autoridades, no entanto, vinham recebendo ameaças de morte desde que foi aberta a licitação para a troca da empresa de ônibus que roda na cidade. A nova frota, com 83 coletivos, começou a circular em 1º de dezembro com uma tarifa mais barata e conta com 22 linhas que atendem a milhares de passageiros na cidade.

Prefeito aponta "coincidência"
Em coletiva de imprensa, Miguel Coelho apontou como "coincidência" o crime ter ocorrido nos primeiros dias de atividade da nova concessão. "Muito em breve esse elemento que fez o atentado será preso, pois já temos várias imagens. O rosto dele foi identificado", falou o prefeito. "É um claro sinal de intimidação e não vamos aceitar, muito pelo contrário. Vamos fazer que o novo sistema funcione", acrescentou Coelho. Ainda segundo o prefeito, as pessoas que foram alvos das ameaças terão segurança reforçada, assim como suas famílias.

"Esperamos que José Carlos tenha uma rápida recuperação. Vamos continuar solicitando aos órgãos competentes uma investigação rápida e séria. Há uma linha de investigação de que essa pessoa foi mandada por alguém. Caso seja comprovado isso, essas pessoas também serão chamadas. Vamos até o fim para garantir que ninguém fique amedrontado", continuou o prefeito. A Polícia Civil abriu inquérito sob a responsabilidade do delegado Gregório Santos para investigar o caso.

Veja também

Boris Johnson, 'muito preocupado' com a COP26 por anúncios alarmantes da ONU
COP26

Boris Johnson, 'muito preocupado' com a COP26 por anúncios alarmantes da ONU

Covid-19: Brasil tem 21,73 milhões de casos e 605,8 mil mortes
Coronavírus

Covid-19: Brasil tem 21,73 milhões de casos e 605,8 mil mortes