Diplomacia

Secretários de Estado e Defesa dos EUA anunciam retorno da presença diplomática dos EUA à Ucrânia

Também foi anunciada uma ajuda adicional de mais de 700 milhões de dólares

Secretários de Estado e Defesa dos Estados Unidos, Antony Blinken e Lloyd AustinSecretários de Estado e Defesa dos Estados Unidos, Antony Blinken e Lloyd Austin - Foto: Alex Brandon / POOL / AFP

Os secretários de Estado e Defesa dos Estados Unidos, Antony Blinken e Lloyd Austin, desembarcaram no domingo (24) na Ucrânia, em sua primeira visita ao país desde o início da invasão russa, onde anunciaram o retorno progressivo dos diplomatas do país a Kiev.

Também anunciaram uma ajuda adicional de mais de 700 milhões de dólares. Os dois funcionários visitaram Kiev no domingo e retornaram nesta segunda-feira (25) ao território da Polônia, confirmaram fontes do diplomáticas americanas.

Blinken disse que o presidente Joe Biden pretende designar nos próximos dias a atual embaixadora do país na Eslováquia, Bridget Brink, como nova representante diplomática em Kiev, um cargo que está vago desde 2019.

Embora vários países europeus já tenham reaberto suas embaixadas em Kiev, o retorno dos diplomatas americanos será gradual, segundo um funcionário do Departamento de Estado

"Desde o início das hostilidades, temos uma equipe do outro lado da fronteira na Polônia que tem feito o trabalho (diplomático) para nós", disse o funcionário aos jornalistas que aguardavam Blinken e Austin no lado polonês da fronteira.

"A partir desta semana, os membros desta equipe poderão fazer visitas diárias à Ucrânia", disse. "No final poderão retomar sua presença em Kiev".

O governo dos Estados Unidos fornecerá outros 700 milhões de dólares em ajuda militar à Ucrânia, incluindo quase US$ 300 milhões para a compra de armas.

 

 

sl/hr/caw/sw/mas/ag/fp

© Agence France-Presse

Veja também

Chegada do homem à Lua, 55 anos: saiba quais são os planos de China e EUA para ter base no satélite
LUA

Chegada do homem à Lua, 55 anos: saiba quais são os planos de China e EUA para ter base no satélite

Serviço Secreto admite que rejeitou pedidos de Trump por mais agentes nos últimos dois anos
EUA

Serviço Secreto admite que rejeitou pedidos de Trump por mais agentes nos últimos dois anos

Newsletter