A-A+

Coronavírus

Seis bilhões de vacinas anticovid-19 aplicadas no mundo

Apesar do número alto, países mais pobres ainda enfrentam defasagem na vacinação

Vacinas contra Covid-19Vacinas contra Covid-19 - Foto: Myke Sena/MS

Mais de seis bilhões de doses de vacina anticovid-19 foram aplicadas no mundo todo, mas as desigualdades de acesso aos imunizantes persistem.

Embora cerca de 15 países já estejam administrando a terceira dose de reforço, a vacinação não decola nos países pobres — em particular na África. 

Pelo menos 6,008 bilhões de doses de vacinas contra o coronavírus foram aplicadas em todo mundo, conforme balanço da AFP atualizado nesta quarta-feira (22), com base em dados de fontes oficiais. 

A imunização mundial avançou em um ritmo constante nos últimos três meses.

Este número de 6 bilhões de doses injetadas foi atingido em 29 dias, após a marca de 4 bilhões e de 5 bilhões de doses injetadas em 30 e 26 dias, respectivamente.

Após o início das primeiras campanhas de vacinação, o primeiro 1 bilhão de doses foi atingido em cerca de 140 dias.

Os Estados Unidos querem que a comunidade internacional estabeleça a meta de 70% da população de cada país totalmente imunizada dentro de um ano. 

Um índice que nem os Estados Unidos atingiram ainda, com menos de 55% de sua população totalmente vacinada até agora. Por enquanto, este percentual foi superado por uma pequena minoria de países, entre eles sete da União Europeia (UE), como França, Portugal e Espanha. 

Com 2,18 bilhões de injeções aplicadas, a China concentra quase quatro em cada 10 doses administradas no mundo. Índia (826,5 milhões) e Estados Unidos (386,8 milhões) completam o pódio em valor absoluto. 

Em relação à população, e entre os países com mais de um milhão de habitantes, os Emirados Árabes Unidos são os campeões da vacinação. Aplicaram 198 doses para cada 100 habitantes, e mais de 81% de sua população está totalmente vacinada.

América Latina vacina em plena capacidade 

Em seguida aparecem Uruguai (175 doses para 100 habitantes), Israel (171), Cuba (163), Catar (162) e Portugal (154). Em boa parte eles, a ampla maioria de sua população está com o esquema de vacinação completo.

Alguns, como Emirados Árabes Unidos, Israel e Uruguai, já começaram a aplicar a terceira dose, de modo a prolongar a imunização de pessoas totalmente vacinadas.

A França não fica muito atrás, com 139 injeções por 100 habitantes, e 70,8% de sua população, tendo recebido duas doses. 

Assim, enquanto os países da Europa Ocidental, da América do Norte e alguns países do Oriente Médio, cujas campanhas estão bem avançadas, agora vacinam de forma menos acelerada, Ásia, América Latina e Oceania imunizam em plena capacidade. 

Na última semana, Cuba acelerou sua campanha, imunizando 2,36% de sua população a cada dia, à frente do Irã (1,32%) e da Austrália (1,17%). Camboja, Costa Rica, Nova Zelândia e Kosovo também vacinaram mais de 1% por dia.

A maioria dos países pobres também começou a vacinar, principalmente graças ao mecanismo de solidariedade internacional Covax, mas o processo ainda caminha de forma muito desigual. O Covax é formado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela aliança Gavi e pela coalizão Cepi.

Os países de renda alta - conforme classificação do Banco Mundial - administraram, em média, 124 doses por 100 habitantes, e os de renda baixa apenas 4.

Com as doses fornecidas pelos países ricos, estes últimos conseguiram acelerar ligeiramente suas campanhas nas últimas semanas. 

Três países ainda não iniciaram suas campanhas de vacinação contra o coronavírus: Burundi e Eritreia, na África Oriental; e Coreia do Norte, na Ásia.

Veja também

Grávida, noiva dirige até o próprio casamento após rejeições de corridas por aplicativo
Independência

Grávida, noiva dirige até o próprio casamento após rejeições de corridas por aplicativo

Marrocos apreende carregamento de cocaína procedente do Brasil
Tráfico de Drogas

Marrocos apreende carregamento de cocaína procedente do Brasil