A-A+

Coronavírus

Seis em cada sete infecções por Covid-19 na África não são detectadas, afirma OMS

Para tentar compensar a falta de evidência, a OMS procurará melhorar o nível dos testes nos países africanos

Teste de coronavírusTeste de coronavírus - Foto: Christof Stache/AFP

O número real de contaminações por Covid-19 na África é sete vezes maior do que as cifras oficiais, que não levam em conta os assintomáticos e não detectados por falta de testes, declarou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira (14).

"Em 10 de outubro de 2021, o número acumulado de casos de infecção por Covid-19 foi estimado em 59 milhões na África, um número sete vezes maior do que os mais de oito milhões de casos oficialmente notificados" no continente, segundo novos cálculos da OMS.

“Desde o início da pandemia, e até 10 de outubro, os países africanos realizaram mais de 70 milhões de testes de Covid-19, o que representa uma ínfima parcela dos 1.3 bilhões de habitantes do continente”, ressalta o comunicado.

"As pessoas assintomáticas causam a maioria dos contágios da doença", disse Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS para a África.

Para tentar compensar a falta de evidência, a OMS procurará melhorar o nível dos testes nos países africanos.

Por "falta de vacinas suficientes, um esforço comunitário de testes mais ativo é muito importante para reduzir a transmissão" na África, afirmou a OMS.

Cerca de 8,4 milhões de casos de covid-19 e 214 mil mortes foram registrados na África, que oficialmente é um dos continentes menos afetados pela pandemia.

Veja também

Butantan mostra a dinâmica de introdução do novo coronavírus no Brasil
Coronavírus

Butantan mostra a dinâmica de introdução do novo coronavírus no Brasil

Covid-19: 20 milhões estão com a segunda dose da vacina atrasada
Campanha de vacinação

Covid-19: 20 milhões estão com a segunda dose da vacina atrasada