A-A+

Seis PMs são afastados após vídeo mostrar agressões a alunos em escola

Em depoimento à polícia, a diretora da escola, de 68 anos, disse que a PM foi chamada porque o rapaz de 18 anos teria se negado a sair da sala de aula

PMs agredindo e apontando uma arma de fogo a estudantes em escola de São PauloPMs agredindo e apontando uma arma de fogo a estudantes em escola de São Paulo - Foto: Reprodução

Seis policiais militares foram afastados das ruas, após um vídeo feito com celular mostrar agressões a dois estudantes, de 17 e 18 anos, na Escola Estadual Professor Amydio de Barros, no Rio Pequeno, região do Butantã (zona oeste da capital paulista). O caso ocorreu por volta de 20h da última terça-feira (18).

Em depoimento à polícia, a diretora da escola, de 68 anos, disse que a PM foi chamada porque o rapaz de 18 anos teria se negado a sair da sala de aula. Ele foi desligado da unidade de ensino, segundo a educadora, por faltar com frequência às aulas. O estudante cursava o segundo ano do ensino médio.

O aluno alegou, em depoimento, que fazia estágio em uma empresa até às 20h e, por isso, não conseguia chegar no início das aulas noturnas, que começam às 19h. Mas como o período como estagiário havia terminado, voltou a estudar. Conforme afirmou, na segunda-feira ele conseguiu entrar na escola normalmente.

Leia também:
Em São Paulo, 300 famílias ficam 5 dias abrigadas em escolas por causa da chuva
PM agride mulher grávida de cinco meses no interior de São Paulo


Segundo as imagens, um PM mantém o jovem imobilizado, com um "mata-leão", quando o garoto de 17 tenta intervir e filmar a ação. Por isso, um policial o segura por uma das pernas, enquanto outro lhe dá uma rasteira, que faz o adolescente perder o equilíbrio e cair.

A imagem também mostra que um PM segura o menor no chão e lhe dá um tapa no rosto. Em seguida, outro policial se aproxima do adolescente e o agride com um chute na barriga. Ainda conforme o vídeo, o mesmo policial saca uma arma e a aponta para quatro estudantes, que recuam. Após isso, ele ainda dá um soco na barriga do rapaz de 18 anos, já imobilizado por outro PM.

Em depoimento, os policiais militares admitiram ter usado spray de pimenta contra estudantes, "para deter o avanço de um bloco de alunos que avançava". O PM que aparece apontando sua pistola contra os alunos argumentou, também em depoimento, que sacou a arma após um estudante "fazer menção" de que estava armado. O caso é investigado pelo 93º DP (Jaguaré)
Resposta A Polícia Militar afirmou que os seis policiais envolvidos no caso foram identificados e afastados das ruas até o término das investigações.

A corporação acrescentou que, assim que tomou ciência da ocorrência, o comandante da área determinou a instauração de Inquérito Policial Militar "para rigorosa apuração dos fatos."

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, gestão João Doria (PSDB), afirmou apurar o caso e que colabora com a polícia "para esclarecer o fato."

Veja também

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco desta quinta-feira (21)
IMPRESSO

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco desta quinta-feira (21)

Americanos e europeus se preocupam com programa de armamento norte-coreano
Mundo

Americanos e europeus se preocupam com programa de armamento norte-coreano