Sem data para retomada de comércio, Belo Horizonte pode adotar isolamento intermitente

A cidade deve seguir um termômetro para acompanhar a evolução dos casos e decidir como fará a flexibilização das medidas de isolamento social

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD)O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) - Foto: Divulgação/Prefeitura de Belo Horizonte

A prefeitura de Belo Horizonte ainda não tem previsão para a retomada do funcionamento normal do comércio na cidade, mas estuda possibilidades como a adoção de isolamento intermitente e abertura escalonada.

cidade deve seguir um termômetro para acompanhar a evolução dos casos e decidir como fará a flexibilização das medidas de isolamento social, segundo o secretário de planejamento, André Reis.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (27) após uma reunião entre o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD), e prefeitos de três cidades da região metropolitana - Betim, Contagem e Nova Lima - que discutiu a flexibilização e como uniformizar medidas de prevenção.

Leia também:
Uso obrigatório de máscaras para trabalhadores do comércio começa a valer em Pernambuco
Witzel afirma que não há previsão para reabertura do comércio no RJ


Kalil anunciou a criação de um grupo técnico para planejar a retomada, batizado por ele de pós-pandemia, com previsão de início de trabalhos em maio, que reúne técnicos e secretários da prefeitura.

A preocupação na capital é que demandas de outras cidades podem chegar à rede de saúde de Belo Horizonte.

"O que me impressiona é que Belo Horizonte é a única capital do país que é pressionada a abrir. Parece que o 'sucesso' da antecipação da pandemia obriga Belo Horizonte a ser a única a ser pressionada a abrir o comércio antes da hora", afirmou Kalil.

Betim, que começou com medidas de flexibilização na semana passada, terá que corrigir pontos do decreto porque nem todos os setores seguiram as condições postas, segundo o prefeito Vittorio Medioli (PSD).

"Abrimos um pouquinho a torneira, mas com a condição de que a água que sai seja limpa e tratada. São normas muito rígidas, nem todos aderiram a elas, e com sanções robustas para evitar abusos", afirmou ele.

Medioli afirmou ainda que é preciso contemporizar lados e aspirações da sociedade. "O coronavírus irá durar muito tempo ainda, provavelmente mais dois ou três anos. Não há como o mundo parar. Tem que aprender a conviver de maneira séria, não é flexibilização de qualquer jeito", diz.

O prefeito de Nova Lima, Vítor Penido (DEM), presidente da Granbel (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de BH), disse que as decisões precisam de participações de outros poderes, para que a responsabilidade não recaia apenas sobre prefeitos.

Em Contagem, há previsão de corte em investimentos, com impacto na prestação de serviços, segundo o prefeito Alex de Freitas (sem partido), mas a cidade segue com regras de isolamento.

"É a visão que a gente precisa preservar vidas, que tudo é muito novo, de que temos chance maior de passar por isso com mais acertos do que erros se estivermos falando a mesma língua", diz o prefeito.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Setor de turismo lança Guia do Viajante Responsável
turismo

Setor de turismo lança Guia do Viajante Responsável

Covid-19 responde por 97,5% dos casos de SRAG reportados no país
Coronavírus

Covid-19 responde por 97,5% dos casos de SRAG reportados no país