Sem unidade na esquerda, Manuela D'Ávila diz que seguirá candidata

A pré-candidata do PCdoB à Presidência, Manuela D'Ávila, afastou nesta segunda-feira (23) a possibilidade de sair da disputa. Em conversa com jornalistas em Aracaju, ela declarou que o apelo da sigla pela união dos partidos de esquerda não se concretizou.

Manuela D'ÁvilaManuela D'Ávila - Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

A pré-candidata do PCdoB à Presidência da República, Manuela D'Ávila, afastou nesta segunda-feira (23) a possibilidade de sair da disputa. Em conversa com jornalistas em Aracaju, ela declarou que o apelo da sigla pela união dos partidos de esquerda não se concretizou.

"Ao que tudo indica, nosso apelo pela unidade não está tendo êxito. Então, o que posso eu fazer se não receber com muita honra o desafio que me foi lançado pelo meu partido e que creio tem sido exitoso", disse Manuela.

Leia também:
Luciana Santos pede união da esquerda
Aspirando Senado, PCdoB se reúne com socialistas
Gleisi se reúne com direção do PCdoB


Neste domingo (22), o PCdoB aprovou uma resolução pedindo a união dos partidos de esquerda já no primeiro turno em resposta à adesão do centrão à candidatura do tucano Geraldo Alckmin.

Ao lado do prefeito da capital sergipana, Edvaldo Nogueira, ela comparou a relação do partido com o PT no estado a de irmãos, citando como um exemplo do que o PCdoB entende como unidade.

"Unidade não é quando um partido se coloca como o grande partido diante dos outros, mas quando os outros partidos podem construir um projeto político comum. Nós estamos tentando fazer isso", afirmou.

Ao ser questionada sobre o encontro do partido com a presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, a presidenciável disse que o TSE tem dado sinais de que reconhecerá o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato e negou que o partido esteja disputando votos do petista.

"Nós não disputamos o legado do ex-presidente Lula porque nós o reconhecemos como um candidato legítimo de um partido historicamente aliado nosso, que é o PT. Ao que tudo indica, o Tribunal Superior Eleitoral também reconhecerá essa candidatura e ele disputará as eleições até o seu término", declarou.

A convenção que vai oficializar a candidatura de Manuela D'Ávila será em 1 de agosto.

Veja também

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada
FRONTEIRAS

Brasil reabre fronteira com Venezuela após mais de 1 ano, mas limita entrada

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19
Coronavírus

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19