Polícia

Serralheiro que sequestrava e extorquia clientes é preso em Igarassu

A polícia descobriu, nas investigações, uma lista com nomes de outras possíveis vítimas

Serralheiro foi preso e encaminhado ao GOESerralheiro foi preso e encaminhado ao GOE - Foto: Divulgação/Polícia Civil de Pernambuco

Apontado como líder de um grupo criminoso envolvido com extorsão mediante sequestro, roubo e tráfico de drogas, um serralheiro de Igarassu, na Região Metropolitana do Recife, foi preso pela Operação Infiltrados, da Polícia Civil de Pernambuco.

A operação foi desencadeda nessa terça-feira (30) e os detalhes foram apresentados pela polícia, no Recife, nesta quarta-feira (31).

De acordo com a corporação, os investigados da associação criminosa praticaram, em janeiro deste ano, dois crimes de extorsão mediante sequestro na cidade a comerciantes do centro de Igarassu.

O serralheiro observava os comerciantes a quem prestava serviços no centro da cidade. Ele, então, identificava as potenciais vítimas e suas respectivas vulnerabilidades, assim como familiares que poderiam pagar o resgate.

A partir dessas informações, eram planejados os sequestros. "Identificamos que um dos líderes era um serralheiro que prestava serviço para as vítimas e tinha amizade com elas. Ele observava a vítima, a rotina, conhecia os familiares e praticou os sequestros com a ajuda dos demais criminosos", explicou o adjunto do Grupo de Operações Especiais (GOE), o delegado Eduardo Pereira.

A polícia descobriu, nas investigações, uma lista com nomes de outras possíveis vítimas. "Dentre elas, teve uma que conseguiu fugir. Tentaram efetuar disparos", acrescentou o delegado, informando que outros sequestros foram evitados durante a apuração em torno da quadrilha.

Ao todo, a operação cumpriu quatro mandados de prisão - cinco foram expedidos - e outros 11 mandados de busca e apreensão domiciliar. Todas as ordens judiciais foram expedidas pela Vara Criminal da Comarca de Igarassu.

O delegado titular do GOE, Paulo Berenguer, disse que as investigações culminaram na prisão dos membros da quadrilha, mas um segue foragido. "Em face da lei de abuso de autoridade não podemos mostrar a foto, mas a população de Igarassu sabe quem é e pode denunciar", disse.

"A gente acredita que o fato é uma covardia muito grande porque tem conhecimento da rotina daquelas pessoas que presta serviços e são colegas comerciantes da região", finalizou Paulo Berenguer.

Veja também

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro
Política

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados
Educa Mais

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados