Sistema ajuda a fiscalizar descartes de obras

Emlurb espera colocar em operação software para monitorar firmas de remoção de resíduos de construções

Atualmente o monitoramento é realizado nas ruas, por fiscais da Emlurb, por meio de rondasAtualmente o monitoramento é realizado nas ruas, por fiscais da Emlurb, por meio de rondas - Foto: Alfeu Tavares

Um sistema de rastreamento de empresas que prestam serviço de coleta, transporte e destino de resíduos de materiais de construção civil está em desenvolvimento pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb). A intenção é supervisionar, em tempo real, se todo o descarte gerado a partir de demolições e construções é destinado para aterros sanitários ou centrais de reciclagem, conforme exige o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

A ferramenta, além de ser um reforço às fiscalizações do órgão, coibirá descartes incorretos - e muito comuns - em beiras de canais e rios, terrenos baldios e rodovias. Atualmente o monitoramento feito nas ruas, por fiscais da Emlurb, por meio de rondas, o que dificulta um maior controle em relação a essas empresas.

“Não temos ‘braço’ para fiscalizar toda a Cidade ao mesmo tempo. São muitas empresas cadastradas junto à Emlurb. Não temos como afirmar se todas seguem o plano de gerenciamento à risca. Esse software é necessário justamente para otimizar esse trabalho. As multas serão aplicadas facilmente, pois o monitoramento será em tempo real”, explica o diretor de Limpeza Urbana do Recife, Bruno Cabral.

Ao se cadastrar junto à Emlurb, o Plano de Gerenciamento calcula quanto será gerado de resíduo (levando em consideração o porte do empreendimento) e estipula o volume exato que deverá ir ao aterro sanitário.

A tecnologia também auxiliará a coibir empresas que atuam clandestinamente. “Uma construtora que compra duas casas e faz a demolição dos imóveis, se não estiver cadastrada no nosso sistema de rastreamento, a multa será aplicada de imediato, além da demolição ser cessada no ato. Dará agilidade até nisso”, assegura. As multas aplicadas variam de R$ 5 mil a R$ 15 mil.

Para apresentar a melhor solução tecnológica para controlar essas operações no Recife, uma comissão técnica especial foi instituída pela Emlurb e terá três meses para pesquisar a operação, qualidade, condições da frota de veículos e quantitativo de operadores. “Ainda estamos no início, mas creio que até o fim deste ano implantaremos esse sistema”, acredita Cabral.

Veja também

Pernambuco registra 1.450 novos casos e 29 óbitos por Covid-19
Coronavírus

Pernambuco registra 1.450 novos casos e 29 óbitos por Covid-19

Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos
Saúde

Covid-19: entidade orienta sobre vacinação em pacientes reumáticos