Notícias

Sisu: cuidado para não perder vaga

Em 15 dias o resultado do Enem será divulgado e plataforma será utilizada para tentar vagas nas universidades

Evento vai realizar rodas de diálogo para debater temas do universo femininoEvento vai realizar rodas de diálogo para debater temas do universo feminino - Foto: Divulgação

 

Mais de 6 milhões de pessoas aguardam ansiosamente o dia 19 de janeiro pelo mesmo motivo: a divulgação das notas do Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio. Depois disso, é chegada a hora de montar guarda no site do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) 2017, do Ministério da Educação, para se inscrever nas principais universidades do País. Só na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a mais concorrida do Estado, são 6.952 vagas no sistema - 3.470 delas para ampla concorrência e 3.482 para as Cotas. Enquanto o cronograma do processo seletivo do Sisu para a primeira edição de 2017 ainda não está disponível, os alunos procuram dicas para acessarem a plataforma da seleção.

O professor do Colégio Marista São Luís Gustavo Hollanda, que dá aulas de química e já respondeu a pelo menos seis provas do Enem, conhece bem o procedimento. “Tem toda essa questão de que o aluno não se inscreve mais no curso como antes, na minha época. Fiz várias provas do Enem desde que mudou o formato e ele passou a ser o principal ingresso das universidades . O que percebo é que é fundamental acompanhar a nota depois que você se inscreve. No ano passado, ao menos, o Sisu ficou aberto por mais de uma semana e a nota de corte mudava constantemente, a depender das notas dos candidatos que queriam o curso”, explicou.

A variação acontece por causa do funcionamento do Sisu. O sistema recebe a nota do candidato e vai montando a lista de inscritos em cada curso, universidade e cidade. “O sistema diz se a pontuação está dentro das vagas naquele momento. Só que tem que ficar olhando todo dia, porque a nota pode não atingir o ponto de corte do curso, e, dependendo da procura a pessoa sai do grupo.” Então, a indicação é procurar o curso na universidade desejada, testar a nota e ficar acompanhando diariamente.

O desejo da estudante Carolina Montenegro, 17 anos, por exemplo, é que a pontuação no Enem seja suficiente para entrar no curso de Engenharia Química na UFPE, campus Recife, sua primeira opção no Sisu. “Acho que na hora de se inscrever num curso, é importante ver como foram as notas dos anos anteriores, porque, na maior parte das vezes, não são os pesos e notas mínimas que tiram candidatos. São outros candidatos mesmo”, lembrou.

Saber os pontos de corte, com os pesos de cada curso já ajuda na hora de traçar um panorama da concorrência. O curso de medicina no Sisu 2016, por exemplo, teve nota mínima de 770,94 no campus Recife da UPE, 752,56 no campus Garanhuns da UPE e 774,04 na Universidade Federal da Paraíba.

“Não é só chegar no primeiro dia, colocar a nota e deixar pra lá. Não depende só do aluno, depende de todo mundo que tá tentando a vaga. Se a pessoa tem condições de ir morar em Serra Talhada, Petrolina, e se for alguma universidade de ótima qualidade, pode ser que ela tenha notas de corte mais acessíveis”, sugeriu Hollanda.

 

Veja também

Professora do Departamento de Química da UFPE é encontrada em Abreu e Lima, na RMR, e passa bem
Região Metropolitana do Recife

Professora do Departamento de Química da UFPE é encontrada em Abreu e Lima, na RMR, e passa bem

Caso Marielle: demora em executar plano para matar vereadora irritou irmãos Brazão, diz Lessa
RIO DE JANEIRO

Caso Marielle: demora em executar plano para matar vereadora irritou irmãos Brazão, diz Lessa

Newsletter