Desequilíbrio

Sport sofre com ataque irregular no Brasileiro

Setor ofensivo rubro-negro é o quinto melhor da Série A, porém, enfrenta apagões e compromete desempenho do time

Pernambouc Quartet em show no RecifePernambouc Quartet em show no Recife - Foto: Amaro Filho/Divulgação

Quinto melhor do Brasileirão, com 37 gols marcados, o ataque do Sport tem uma das piores distribuições de gols na competição, podendo ser chamado de um verdadeiro vagalume.

Um grande exemplo foi exposto nas últimas quatro rodadas. Após anotar cinco gols na histórica vitória no Clássico das Multidões, contra o Santa Cruz, o poderio leonino caiu drasticamente, anotando apenas um único tento nos últimos três jogos, contra Atlético/MG, Coritiba e Santos, o que lhe rendeu duas derrotas e uma vitória. E assim foi durante quase todo o campeonato. Nas cinco primeiras rodadas, os rubro-negros haviam marcado apenas duas vezes, no empate contra o Botafogo e no triunfo novamente diante da Cobra Coral.

Das 27 etapas já percorridas na elite nacional, foram nove ocasiões em que a equipe passou em branco, sem balançar as redes adversárias. O desequilíbrio é exposto ao se constatar que 18 gols foram marcados em apenas quatro jogos dos rubro-negros, contra Atlético Mineiro (4x4), Chapecoense (5x1), Grêmio (4x2) e Santa Cruz (5x3).

O vagalume voltou a apagar nos empates chochos em 1x1 contra os “rebaixáveis” América/MG e Figueirense. Na Sul-Americana, nenhum golzinho marcado nos jogos contra o Santa Cruz. Na Série A, o Returno praticamente apagou de vez o ataque leonino. Nos quatro primeiro jogos, apenas dois gols marcados. O sistema ofensivo rubro-negro só voltou a mostrar o seu poder de fogo diante dos tricolores, mas em seguida caiu novamente. Tudo isso pode ser atrelado a três fatores: a eterna busca por um atacante de referência goleador, a falta de reservas à altura e as oscilações de peças ofensivas fundamentais, como Diego Souza e Rogério.

Com um excelente Primeiro Turno, DS87 sofreu com lesões e não conseguiu manter o mesmo ritmo, com seu último gol tendo sido marcado na vitória contra o Atlético/PR, no dia 30 de julho. Com esses dois meses de jejum, o Leão acabou sofrendo juntamente. Na questão de homem-gol, ano passado o time tinha André de titular e Hernane Brocador como opção no banco. Este ano, Túlio de Melo, Edmílson e Vinícius Araújo não vingaram. A chegada de Ruiz havia sido um alento, mas o atacante se machucou e ainda deve ficar de molho por mais uma semana.

Julgamento
Por conta da expulsão contra o Santa Cruz, onde se envolveu numa confusão com o volante Derley, o meia Diego Souza será julgado amanhã, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), podendo pegar de um a três jo­gos de suspensão como pena máxima. Como já cumpriu um automaticamente, o leonino ficaria de fora dos dois próximos jogos, contra Fluminense e São Paulo. Segundo o árbitro Leandro Pedro Vuaden relatou na súmula, os dois atletas fizeram ameaças mútuas em campo. Os dois clubes também serão julgados, já que nos dois últimos gols do Leão os atletas foram comemorar perto da torcida coral e foram alvos de objetos atirados pelos tricolores. Os dois podem ser condenados a pagar uma multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

Veja também

Elefante-marinho vira atração de surfistas e banhistas no Rio
Rio de Janeiro

Elefante-marinho vira atração de surfistas e banhistas no Rio

Mais de 2.300 idosos de abrigos são beneficiados com recursos para alimentação e higiene
PERNAMBUCO

Mais de 2.300 idosos de abrigos são beneficiados com recursos para alimentação e higiene