Coronavírus

Startup desenvolve equipamento para monitorar sequelas da Covid em comunidades da RMR

Aparelho medirá, em tempo real, frequências cardíaca e respiratória, temperatura e saturação sanguínea das pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus nessas comunidades

Equipamento foi desenvolvido pela startupEquipamento foi desenvolvido pela startup - Foto: Divulgação/ABDI

Habitantes de comunidades em vulnerabilidade social do Recife e de Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife (RMR), terão possíveis sequelas da Covid-19 monitoradas em tempo real através de uma iniciativa da startup Salvus, a partir da próxima segunda-feira (19). 

A startup desenvolveu um aparelho capaz de acompanhar frequências cardíaca e respiratória, temperatura e saturação sanguínea das pessoas que foram infectadas pelo novo coronavírus nessas comunidades. Desta forma, será possível monitorar, em tempo real, possíveis sequelas da doença. Todo o acompanhamento será feito de forma remota.

O equipamento será utilizado pelos participantes do projeto por cerca de 60 dias. A ideia é reabilitar todos de uma forma completa. A ação pretende alcançar cerca de 1,2 mil pessoas nas três cidades. A iniciativa ainda tem apoio das prefeituras das três cidades e da Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS).

Para a pesquisadora da Salvus Rafaela Covello, há possibilidade de os recuperados da Covid apresentarem comprometimento da capacidade respiratório e até mesmo outros problemas ainda desconhecidos pela medicina. Assim, muitos pacientes podem se tornar crônicos. 

“A ideia é que a ferramenta garanta o acompanhamento e medições remotas e em tempo real, para antecipar-se a eventuais problemas, evitando intercorrências e possíveis remoções aos hospitais”, explica Rafaela.

A iniciativa foi apoiada pelo edital Startups & Comunidades da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). De acordo com a analista de produtividade e inovação da agência, Lanna Dioum, a pesquisa e análise de dados se fazem muito importantes nesse momento para a contribuir com a formulação de novas políticas ou mesmo o desenvolvimento de novas tecnologias. 

“Pelo uso da tecnologia de IOT e um wearable será possível monitorar e mapear o impacto da Covid-19 em áreas mais carentes do nordeste brasileiro, e quem sabe auxiliar a encontrar soluções para situações mais urgentes”, disse Lanna.

Equipamento foi desenvolvido pela startupEquipamento desenvolvido pela startup Salvus (Foto: Divulgação/ABDI)

Veja também

Reino Unido é o primeiro país europeu a superar marca de 100 mil mortes por Covid-19
Coronavírus

Reino Unido é o primeiro país europeu a superar marca de 100 mil mortes por Covid-19

Bolsonaro se vangloria de número de vacinados e agora defende imunização 'para a economia funcionar'
Presidente

Bolsonaro se vangloria de número de vacinados e agora defende imunização 'para a economia funcionar'