submersível Titan

Submarino do Titanic: Canadá e EUA abrem investigação sobre implosão de submersível Titan

Conselho de Segurança de Transporte decidiu pela medida porque o navio de apoio ao submersível, o Polar Prince, era uma embarcação de bandeira canadense

Tragédia com submersível matou cinco pessoasTragédia com submersível matou cinco pessoas - Foto: Divulgação/OceanGate

O Canadá anunciou nessa sexta-feira (23) que iniciou uma investigação sobre o acidente com o submersível Titan, que implodiu na última semana, quando tentava chegar aos destroços do Titanic em uma viagem turística, provocando a morte dos cinco tripulantes.

A apuração será realizada pelo Escritório de Segurança do Transporte do Canadá (TSB na sigla em inglês), uma agência independente que investiga rotineiramente acidentes aéreos, ferroviários, marítimos e oleodutos. No entanto, não atribui culpa nem determina responsabilidade civil ou criminal.

Em um comunicado, o TSB indicou que, por ser a autoridade responsável pelo navio-mãe do submersível, "realizará uma investigação de segurança sobre as circunstâncias da operação realizada pelo navio de bandeira canadense Polar Prince".

EUA também investigarão
Além do Canadá, os Estados Unidos também vai abrir uma investigação, disseram as autoridades na sexta-feira, depois de encontrar detritos que indicavam uma "implosão catastrófica da embarcação".

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA disse que se juntaria a uma investigação liderada pela Guarda Costeira dos EUA, que declarou a perda como um "grande acidente marítimo".

As várias investigações destacam a jurisdição complexa e às vezes pouco clara sobre o incidente, que aconteceu em águas internacionais.

A empresa proprietária e operadora do Titan, a OceanGate Expeditions, está sediada nos Estados Unidos. De acordo com um documento vista pela agência de notícias Associated Press, o próprio submersível foi registrado nas Bahamas.

Os mortos na tragédia eram do Reino Unido, Paquistão, França e Estados Unidos. Enquanto isso, a nave-mãe de bandeira canadense era propriedade majoritária da Primeira Nação Miawpukek.

O Polar Prince foi o navio-mãe da última expedição do Titan, submersível que pertence à companhia OceanGate Explorations.

As duas embarcações partiram do porto de St. John's com destino ao local onde estão os destroços do Titanic.

Segundo as autoridades americanas, o Polar Prince perdeu contato com o Titan no último domingo, 105 minutos após iniciar a imersão em direção ao submersível.

Um veículo operado de maneira remota (ROV), partindo do navio Horizon Arctic e que pertence à mesma companhia do Polar Prince, descobriu ontem os destroços do Titan no fundo do Atlântico.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter