Oceano Pacífico

Submarino do Titanic: França e Reino Unido irão participar de investigação sobre implosão

Relatório final será enviado à Organização Marítima Internacional com objetivo de reduzir chances de novos acidentes

Subamarino TitanSubamarino Titan - Foto: AFP PHOTO / OceanGate Expeditions

Órgãos franceses e britânicos irão participar juntos de Canadá e Estados Unidos da investigação sobre o acidente que resultou na implosão do submarino Titan, da empresa OceanGate, na semana passada. Neste domingo, a Guarda Costeira americana anunciou a abertura de um conselho de investigação marinho (MBI) para apurar o caso. Um relatório final será enviado a Organização Marítima Internacional e outros grupos.

No final de semana, Canadá e EUA anunciaram investigações independentes sobre o caso. A canadense será feita pelo Escritório de Segurança do Transporte do Canadá. Já a apuração americana será conduzida pela Guarda Costeira dos EUA.

— Meu objetivo principal é evitar um incidente similar com as recomendações necessárias para aumentar a segurança do domínio marítimo em todo o mundo — disse Jason Neubauer, investigador-chefe da Guarda Costeira, em uma entrevista coletiva em Boston.

.A Divisão de Investigação de Acidentes Marítimos do Reino Unido e o Gabinete de Investigação de Eventos Marítimos da França, órgãos de países europeus que tiveram nacionais seus entre os cinco mortos da tragédia, também irão cooperar com as investigações, segundo Neubauer

— O MBI já está na fase inicial da coleta de evidências, incluindo operações de resgate dos destroços no local do incidente — acrescentou.

Neubauer disse que a investigação americana também pode fazer recomendações sobre a possível busca de sanções civis ou criminais "se for necessário".

Titan foi considerado desaparecido no dia 18 de junho e a Guarda Costeira anunciou na quinta-feira (22) que as cinco pessoas a bordo do submersível morreram depois que o navio sofreu uma implosão catastrófica.

Um campo de destroços foi encontrado no fundo do mar, 500 metros da proa do Titanic, que está a quase quatro quilômetros de profundidade e 600 km da costa de Terranova, Canadá.

O cargueiro Polar Prince, de bandeira canadense, rebocou o Titan para o mar no fim de semana anterior, mas perdeu contato com o submersível uma hora e 45 minutos depois que o navio iniciou a descida para a área de naufrágio do Titanic.

O anúncio da implosão encerrou uma operação multinacional de busca e resgate que chamou a atenção do mundo desde o desaparecimento da embarcação turística.

Veja também

Parkinson: ligação com bactérias do intestino aponta novo caminho para tratamento
neurodivergência

Parkinson: ligação com bactérias do intestino aponta novo caminho para tratamento

Ameaças de deslizamento no RS impedem Leite de viajar para evento do BNDES no Rio
RIO GRANDE DO SUL

Ameaças de deslizamento no RS impedem Leite de viajar para evento do BNDES no Rio

Newsletter