Suposto sequestro de estudante no Recife causa apreensão nas redes sociais

Polícia solicita que os pais prestem queixa para dar início às investigações

O caso de uma ameaça a um adolescente aluno do Colégio Damas, um dos mais tradicionais do Recife, localizado no bairro das Graças, na Zona Norte, deixou muitas pessoas alarmadas nesta quinta-feira (16). Arquivos de áudio compartilhados pelo aplicativo WhatsApp mostram o relato de um homem que afirma haver salvado um garoto de 13 anos das mãos de dois sequestradores no bairro da Torre. A Polícia Civil confirmou que estava ciente do caso e que vai procurar os pais para que prestem queixa e, assim, o caso seja investigado. A escola não se pronunciou sobre o assunto.

"Hoje eu presenciei e felizmente consegui evitar uma cena muito cruel", começa o depoimento do suposto salvador. "Um menino do Damas, chamado (...), ele tem 13 anos, vinha sendo sequestrado por dois caras, que o abordaram na Jaqueira. Ele tinha saído a pé do Damas para andar até em casa, no Clube Alemão [Parnamirim]. Os dois caras abordaram esse menino na Jaqueira e já estavam com ele andando a pé, acompanhando ele, ameaçando-o, no Carrefour. Para a sorte do menino, apareceu um louco que  era eu naquele momento, que vi aquela cena. Imediatamente parei o carro e pulei em cima dos bandidos. Era óbvio pra mim que aquele menino estava sendo assaltado ou não estava vivendo uma situação boa. Puxei o menino para dentro do carro, os caras saíram, depois de um desentendimento".

Ainda de acordo com o relato, o menino contou que os supostos sequestradores o ameaçaram. "Era óbvio que esses caras não eram assaltantes. Eles não levaram nada do menino - celular, carteira, bolsa, nada. Eles certamente tinham interesses muito piores com esse menino. Muito cruel essa cena."

O homem diz também no áudio que o garoto ficou muito assustado, entrou no carro e desabou em choro sem parar. "Pedi para ele ligar para a mãe dele, para avisar que ele estava bem. A mãe devia estar preocupada, porque ele não chegou em casa. Ele ficou contando para a mãe dele, que entrou em desespero, porque não sabia com que ele estava no carro. Falei com a mãe dele e expliquei o que tinha havido para ela, nas palavras mais simples, porque estava com meus dois filhos e com ele no carro. Deixei ele em casa, esperei ele subir. O menino estava em choque. Não se mexia no carro, travado, não sabia o que fazer, andar, não sabia nem descer do carro. Quando chegou na porta de casa, ele se sentiu mais seguro, mais tranquilo e subiu. A cara do menino era de pavor, pavor total."

Uma outra mensagem, desta vez de texto, traz um depoimento atribuído à mãe do menino: "Com enorme desprazer e lágrimas nos olhos, mas com consciência e dever de alerta passo a relatar o que aconteceu: meu filho, (...) de apenas 13 anos, por dificuldades do dia a dia teve que voltar só até nossa casa. Simples um quilômetro. Pois vejam... ele foi sequestrado por dois marginais em frente à jaqueira. Meio-dia, minha gente. Foi conduzido coercitivamente até o Carrefour, quando Deus mandou um anjo (uma pessoa que passava com seus filhos pequenos dentro do carro e percebeu que era um sequestro). Esse anjo saltou do seu carro e enfrentou os marginais e conseguiu salvar meu filho".

Procurado pela Folha de Pernambuco, o titular da Delegacia de Casa Amarela, Paulo Rameh, afirmou haver tomado conhecimento do caso também pelas redes sociais e que, esta sexta-feira (17), tentará localizar os pais do menino a fim de solicitar que eles prestem queixa. "Aí vamos iniciar as investigações de imediato", contou. A assessoria do imprensa do Colégio Damas disse que o estabelecimento também soube do caso pelas redes sociais.

Veja também

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens
Caso Henry

Babá diz que mãe de Henry pediu que ela mentisse e apagasse mensagens

Covid-19: 1,5 milhão de brasileiros estão com segunda dose atrasada
Pandemia

Covid-19: 1,5 milhão de brasileiros estão com segunda dose atrasada