Supremo mantém flexibilização da LRF durante pandemia do coronavírus

Corte acatou decisão individual do ministro Alexandre de Moraes

O ministro do STF Alexandre de MoraesO ministro do STF Alexandre de Moraes - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (13) manter a decisão individual do ministro Alexandre de Moraes que flexibilizou as exigências previstas na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) durante o período da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No dia 29 de março, Moraes concedeu uma liminar solicitada pela Advocacia-Geral da União (AGU) para afastar o cumprimento das normas exclusivamente nas ações relacionadas ao combate à Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Segundo o ministro, medidas de efeito imediato devem ser tomadas para garantir o atendimento aos pacientes e o funcionamento da economia.

Leia também:
STF dá 48 horas para PGR se manifestar sobre sigilo de vídeo em que Bolsonaro teria ameaçado Moro
Moraes nega pedido para reconsiderar veto à nomeação de Ramagem para PF


Na Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), a Advocacia-Geral da União (AGU) pediu a flexibilização da LRF e da LDO, excepcionalmente no caso das políticas públicas de combate à covid-19, para que não fosse exigida comprovação de que as medidas estavam de acordo com a compensação orçamentária prevista nas duas leis, uma vez que as normas obrigam a União a indicar de que modo custeará aumentos de despesas, prevendo que tais projetos sejam acompanhados da previsão do aumento de receitas.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Pai de Meghan Markle diz que Oprah Winfrey se aproveitou de momento frágil de Harry
Realeza

Pai de Meghan Markle diz que Oprah Winfrey se aproveitou de momento frágil de Harry

Cidade do Espírito Santo participa de estudo de eficácia com meia dose da AstraZeneca/Fiocruz
Vacina

Cidade do Espírito Santo participa de estudo de eficácia com meia dose da AstraZeneca/Fiocruz