ESTADOS UNIDOS

"Surf" no metrô causa quarta morte de adolescente em Nova York neste ano

Prefeito Eric Adams pediu para as empresas de rede social proibirem vídeos que incentivam a prática

Jevon Fraser, de 14 anos, morreu ao surfar em metrô de Nova YorkJevon Fraser, de 14 anos, morreu ao surfar em metrô de Nova York - Foto: Reprodução/Redes sociais

Leia também

• Supremo dos EUA apoia recusa a trabalhar para casais gays e revoga plano estudantil de Biden

• Inflação nos EUA desacelera em maio: 3,8% em 12 meses

Um adolescente de 14 anos morreu, na sexta-feira (30), após sofrer um acidente quando "surfava" no metrô de Nova York. Jevon Fraser foi encontrado sem vida nos trilhos da linha 7, no Queens. Com este caso, chega a quatro o número de óbitos registrados neste ano pela prática de manobras arriscadas em cima dos vagões.

Fraser estava com outros dois adolescentes, mas a polícia da cidade ainda não confirmou se eles também estavam surfando no metrô. O adolescente foi levado ao Cohen Children's Medical Center em estado crítico, com traumatismo craniano grave. Ele foi declarado morto algumas horas depois.

A morte de Fraser aconteceu uma semana após Brian Crespo, de 14 anos, ter morrido enquanto "surfava" em uma composição perto da parada da Broadway Junction, em Nova York. Seu colega, Windinson Garcia, da mesma idade, ficou gravemente ferido e segue internado.

"Sua cintura está quebrada e ele tem muitos hematomas e pontos por todo o corpo", disse Erika Garcia, prima de Windinson, em entrevista à ABC News.

"Não sei por que ele decidiu fazer coisas assim" acrescentou Erika. "Ele é muito inteligente. Ele gosta, como posso dizer, ele gosta de fazer coisas perigosas como essa".

Além de Fraser e Crespo, outros dois adolescentes morreram neste ano por "surfar" no metrô. Um deles é Zackery Nazario, de 15 anos, e o outro não teve a identidade revelada. Apenas neste ano, a polícia de Nova York recebeu 66 notificações de pessoas andando em cima dos trens em movimento.

Desafio de redes sociais
O prefeito de Nova York, Eric Adams, alertou os adolescentes da cidade após a morte de Crespo. "Surfar no metrô mata", escreveu o mandatário em uma postagem no Twitter.

Em seguida, Adams compartilhou a responsabilidades pelas mortes com as empresas de redes sociais. "Precisamos que nossas empresas de mídias sociais se juntem a nós para impedir essa prática mortal", afirmou.

Em entrevista ao New York Post, o prefeito prosseguiu com sua argumentação: "Muitas de nossas empresas de mídia social estão ignorando os impactos mortais que seus algoritmos estão causando em nossos filhos – seja envenenando sua saúde mental, induzindo-os a roubar carros ou incitando-os a andar em cima do metrô", disse.

De acordo com a CBS, o TikTok informou que removeu da plataforma qualquer conteúdo que mostre surf no metrô. A empresa acrescentou que "mais de 40.000 profissionais de segurança se dedicam a manter nossa comunidade segura e trabalham diligentemente para remover conteúdo prejudicial quando encontrado".

Veja também

Quem são os Hinduja, família mais rica do Reino Unido, investigada por tráfico humano
MUNDO

Quem são os Hinduja, família mais rica do Reino Unido, investigada por tráfico humano

Pipoca: conheça os cinco benefícios que fazem do alimento um produto altamente saudável
SAÚDE

Pipoca: conheça os cinco benefícios que fazem do alimento um produto altamente saudável

Newsletter