Notícias

Surto de COVID-19 é detectado no presídio mais superlotado da Bolívia

Também foi reportada a morte de um segundo preso, depois da morte de um primeiro detento na semana passada

Quarentena na BolíviaQuarentena na Bolívia - Foto: Aizar Raldes / AFP

Um surto do novo coronavírus foi detectado neste sábado (16) no presídio de Palmasola, o mais superlotado e violento da Bolívia, onde foram registrados 25 novos contágios e um segundo óbito, o que obrigou a adoção de medidas urgentes de isolamento.

"Um total de 25 pessoas privadas da liberdade testaram positivo para COVID-19. Ao ter um surto epidemiológico dentro do presídio de Palmasola, vamos estabelecer dois centros de isolamento: um para suspeitos e outro para pessoas que testaram positivo", disse à imprensa Vladimir Peña, secretário do Governo de Santa Cruz (leste).

Leia também:
Quarentena, fome e incerteza nas eleições elevam tensão na Bolívia
Colômbia analisa conceder liberdade temporária a presos por causa da Covid-19

Também foi reportada a morte de um segundo preso, depois da morte de um primeiro detento na semana passada.

Peña informou que as brigadas médicas atenderam neste sábado 172 presos o centro penitenciário e 16 foram internados.

As autoridades penitenciárias dispuseram, ainda, de um consultório móvel dentro do presídio, assim como turnos permanentes de pessoal médico para enfrentar a pandemia.

Uma centena de leitos foram colocados na área esportiva do presídio para abrigar os contagiados e suspeitos.

Com capacidade para 1.700 detentos, o presídio de Palmasola abriga 7.000, a maioria sem sentença.

Membros de organizações criminosas brasileiras, como o Primeiro Comando da Capital (PCC) cumprem pena em Palmasola e costumam protagonizar atos violentos.

Santa Cruz é o epicentro da pandemia na Bolívia, com 64% dos 3.577 casos registrados no país. O último boletim dá conta de 164 mortes, a maioria na região leste do país.

"As prisões são uma bomba-relógio", afirmou o vice-ministro de Segurança Cidadã, Wilson Santamaría, após indicar que se aceleram as gestões para descongestionar as prisões.

Um indulto foi aprovado em abril para presos maiores de 58 anos, considerados a população prisional mais vulnerável à COVID-19.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

EUA de luto após massacre racista
MUNDO

EUA de luto após massacre racista

Coreia do Norte informa mais oito mortes em meio a surto de Covid-19
PANDEMIA

Coreia do Norte informa mais oito mortes em meio a surto de Covid-19