Suspeito de matar Mirella é indiciado por estupro e homicídio triplamente qualificado

O inquérito policial sobre o homicídio foi enviado ao Ministério Público de Pernambuco, nesta quarta

Edvan Luiz da Silva é o suspeito de assassinar brutalmente fisioterapeutaEdvan Luiz da Silva é o suspeito de assassinar brutalmente fisioterapeuta - Foto: Divulgação/PCPE

O suspeito pela morte da fisioterapeuta Tássia Mirella Sena de Araújo, o comerciante Edvan Luiz da Silva, foi indiciado, nesta quarta-feira (12) por estupro e homicídio triplamente qualificado ((assegurar a ocultação de outro crime, sem possibilidade de defesa da vítima e feminicídio). O inquérito policial foi enviado ao Ministério Público de Pernambuco nesta quarta. Segundo nota divulgada à imprensa, as investigações e diligência continuam com o objetivo de esclarecer os detalhes do crime

A informação de que o acusado foi transferido do Centro de Observação Criminológico e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foi divulgada nesta terça-feira (11), porém não foi informada a sua nova localização. Na terça também aconteceu a missa de sétimo dia de Mirella, reunindo amigos e familiares.  

A Policia Civil informou, em nota, que irá se pronunciar apenas ao final das investigações para que o trabalho que vem sendo desenvolvido não seja comprometido.

Edvan Luiz, de 32 anos, teve a prisão preventiva decretada na última quinta-feira (6), após audiência de custódia realizada no Fórum Rodolfo Aureliano, no Recife. Na quarta (5), mesmo dia do crime, ele foi autuado em flagrante por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, sem chance de defesa e feminicídio). Edvan era vizinho de Mirella, que tinha 28 anos, e o crime ocorreu na manhã da quarta no imóvel da vítima, em flat localizado no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife.

O suspeito ainda estava em seu apartamento e teria tentado se livrar dos indícios do crime, como a camisa que utilizou no ato e a faca com a qual cortou o pescoço da vítima. Segundo o chefe da polícia civil de Pernambuco, Joselito Kehrle do Amaral, um dos responsáveis pelo caso, o motivo do crime foi sexual. “Ele a matou porque queria ter relações com ela.”

Perícias

As análises realizadas por profissionais da Polícia Científica foram fundamentais para confirmar a identidade do autor do crime brutal. Exames de DNA comprovaram que o material genético encontrado nas unhas de Mirella pertenciam ao vizinho. Também foi por meio do DNA que ficou provado que o sangue encontrado na casa de Edvan era da fisioterapeuta. Fios de cabelo do empresário foram encontrados nas mãos da vítima.

No local do crime, o uso do luminol, produto químico especial capaz de fazer aparecer traços de sangue até então invisíveis a olho nu, foi revelador. A aplicação do produto mostrou pegadas do empresário e até a sua silhueta ao abrir a porta do banheiro, já que ele estava bastante sujo de sangue e encostou no cômodo. De todas as perícias, apenas a sexológica ainda não ficou pronta, mas deve sair em breve.

Veja também

Linhas do TI Joana Bezerra que deveriam operar com redução de passageiros seguem com lotação
Ônibus

Linhas do TI Joana Bezerra que deveriam operar com redução de passageiros seguem com lotação

Após críticas, Ministério da Saúde retira do ar aplicativo que indicava remédios sem eficácia
Coronavírus

Após críticas, Ministério da Saúde retira do ar aplicativo que indicava remédios sem eficácia