Suspeitos morrem e passageiros ficam feridos em tentativa de assalto a ônibus

De acordo com informações da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), por volta das 21h, três homens tentaram assaltar o veículo coletivo que passava pela rodovia BR-101

Marinaldo Rosendo (C) recebe os prefeitos de Paudalho e Feira Nova em seu gabineteMarinaldo Rosendo (C) recebe os prefeitos de Paudalho e Feira Nova em seu gabinete - Foto: Divulgação

Troca de tiros em ônibus deixa dois assaltantes mortos e dois passageiros feridos no final da noite desta segunda-feira (10). De acordo com informações da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), por volta das 21h, três homens tentaram assaltar o veículo coletivo que passava pela rodovia BR-101.

Policiais militares do Regimento de Polícia Montada Dias Cardoso (RPMon) mantém um dos suspeitos em custódia. Ele foi encaminhado à Central de Flagrantes, em Santo Amaro, na Zona Norte da Capital pernambucana.

Os PMs isolaram o local e aguardam a chegada de peritos do Instituto de Criminalística (IC) . O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil. Os agentes do Instituto de Medicina Legal (IML) também se deslocaram até as imediações do Terminal para recolher os corpos e levá-los de volta para perícia.

Os passageiros feridos foram socorridos e levados ao Hospital Otávio de Freitas, em Tejipió, mas o estado de saúde de ambas as vítimas é considerado e estável e sem gravidade, segundo a PMPE.

O automóvel saiu do Terminal Integrado do Barro, na Zona Oeste do Recife, e seguia em direção sul, quando os suspeitos anunciaram a ação criminosa. Um dos passageiros reagiu ao assalto e os disparos de arma de fogo tiveram início dentro do ônibus. As identidades dos envolvidos não foram informadas até o momento.

 

Veja também

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado
meio ambiente

Amazônia já tem mais queimadas em 2020 do que em todo o ano passado

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana
Mariana

Pandemia causa atrasos nas obras de recuperação de Mariana