MUNDO

Taiwan pede racionalidade à China após incidente marítimo fatal

Patrulhas serão intensificadas na região depois da morte na semana passada de dois tripulantes de um barco chinês perseguido pela guarda-costeira taiwanesa

Taiwan pede racionalidade à China após incidente marítimo fatalTaiwan pede racionalidade à China após incidente marítimo fatal - Foto: TAIWAN COAST GUARD / AFP

Taipei pediu nesta terça-feira (20) racionalidade a Pequim depois de um incidente fatal entre um barco chinês e a guarda-costeira de Taiwan.

"Esperamos que ambas as partes sejam racionais, justas e cooperem para garantir a segurança" nas águas do estreito de Taiwan, disse o primeiro-ministro da ilha, Chen Chien-jen.

A China anunciou no domingo que intensificará as patrulhas na região depois da morte na semana passada de dois tripulantes de um barco chinês perseguido pela guarda-costeira taiwanesa.

A embarcação naufragou perto de Kinmen, uma ilha administrada por Taipei, mas situada a apenas cinco quilômetros da cidade continental de Xiamen.

Na segunda-feira, agentes da guarda-costeira chinesa embarcaram brevemente em um cruzeiro para checar informações do capitão e dos passageiros.

A China considera Taiwan parte de seu território e defende a retomada de sua soberania, inclusive pela força se for necessário.

As relações entre Pequim e Taipei se deterioram nos últimos anos sob a administração da presidente Tsai Ing-wen, que não aceita as pretensões chinesas sobre a ilha.

Leia também

• Liu Liange, ex-presidente do Banco da China, é indiciado por suborno

• Dólar recua de olho em China e IBC-Br em meio à liquidez fraca com feriado nos EUA

• China registra o menor aumento de investimento estrangeiro direto em mais de duas décadas

Nesta terça-feira, o primeiro-ministro taiwanês disse  que as duas partes estão conscientes das "áreas marítimas restritas" e "aplicaram suas leis com base nesses limites".

"Continuaremos protegendo essas áreas marítimas para garantir a segurança em nossas águas territoriais e os direitos de nossos pescadores", acrescentou.

Poucos quilômetros separam a ilha taiwanesa de Kinmen da cidade chinesa de Xiamen, por isso é comum que barcos dos dois lados cruzem acidentalmente para a outra parte.

Os serviços da guarda-costeira taiwansesa defenderam suas ações na perseguição que levou ao acidente mortal e asseguraram que a tripulação chinesa se rejeitou a cooperar com eles.

Veja também

ONU envia casas modulares para vítimas de enchentes no Rio Grande do Sul; veja como são moradias
AJUDA

ONU envia casas modulares para vítimas de enchentes no Rio Grande do Sul; veja como são moradias

Pernambuco é o único estado do Brasil a reduzir o desmatamento da Caatinga
Meio Ambiente

Pernambuco é o único estado do Brasil a reduzir o desmatamento da Caatinga

Newsletter