Tapumes em coreto geram polêmica em Olinda

De acordo com a Prefeitura de Olinda, a medida foi tomada para que não ocorra nenhum acidente no equipamento, que está bastante danificado

Coreto fechado com tapumes na Praça do Carmo, em OlindaCoreto fechado com tapumes na Praça do Carmo, em Olinda - Foto: Priscilla Aguiar/ Portal FolhaPE

Moradores do Sítio Histórico de Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR), foram pegos de surpresa com a instalação de tapumes no coreto da Praça da do Carmo. Construída em ferro, a estrutura situada ao ar livre para abrigar bandas musicais em concertos, festas e romarias transformou-se em dormitório para moradores de rua e terminou fechada pelo Executivo municipal.

A ação dividiu a opinião dos olindeses, sendo alvo de críticas e polêmica. Alguns questionam a questão estética e alegam que é necessária uma ocupação mais efetiva do coreto, com manifestações artísticas e culturais, que levem um público amplo e diverso para a praça.

Leia também:
Um passeio por monumentos de Olinda
MPPE fará audiência pública sobre poluição sonora no Sítio Histórico de Olinda
Escultura do Jacaré de Olinda é pintada pela Prefeitura

Por meio de nota, a Prefeitura de Olinda informou que medida foi tomada para que não ocorra nenhum acidente no equipamento, que "encontra-se com toda a sua estrutura comprometida por conta da falta de manutenção nos últimos anos".

Ainda de acordo com o documento, a Secretaria de Patrimônio e Cultura encomendou um estudo de especialistas da pasta para levantar os problemas existentes na estrutura do coreto. Após o término desse levantamento técnico, ainda sem previsão de término, será dado início ao processo de restauração do coreto.

Para o artista plástico Fred Esperantisto, de 60 anos, morador do município desde que nasceu, o risco é de que os tapumes causem um problema ainda maior, já que as pessoas podem se esconder dentro do equipamento sem ser vistas. "Entendo que o ideal seria fazer a restauração do monumento e preencher o espaço com os valores culturais, para o que ele foi construído, a proposta dele", afirmou.

Também há que defenda a medida da prefeitura. Uma mulher de 61 que não quis ser identificada comemorou a saída dos moradores de rua daquela área. “Tinha muito gente dormindo no coreto e vivendo no entorno, fazendo comida, tomando banho, uma vergonha quando os turistas chegam e dão de cara com isso. O equipamento também está muito danificado. É necessária uma restauração não apenas no equipamento, mas em toda a praça”, disse.

Imagem de arquivo do coreto da Praça do CarmoImagem de arquivo do coreto da Praça do Carmo - Crédito: Flicrk/Prefeitura de Olinda

História
O coreto foi adquirido pelo município de Olinda, em 1914, na gestão do prefeito Arthur Hermann Lundgren, para compor a urbanização da área, que estava sendo transformada em praça. Esses coretos de ferro fundido eram comprados através de catálogos e montavam-se conforme o desejo do comprador, pois eram vendidos em peças separadas.

Veja íntegra da nota da Prefeitura de Olinda:
A Praça do Carmo, assim como vários outros espaços do município de Olinda vem recebendo uma atenção especial por parte da Prefeitura de Olinda. O local passou a ser requalificado nos últimos meses e já teve bancos e chafariz recuperados, esculturas restauradas, além de nova iluminação garantindo mais segurança aos frequentadores. O coreto importado no começo do século passado, faz parte do conjunto arquitetônico da Praça do Carmo, um dos principais cartões postais da cidade.

O monumento encontra-se com toda a sua estrutura comprometida por conta da falta de manutenção nos últimos anos. A Secretaria de Patrimônio e Cultura encomendou um estudo de especialistas da pasta para levantar os problemas existentes na estrutura do coreto. Após o término desse levantamento técnico, ainda sem previsão de término, será dado início ao processo de restauração do coreto, que hoje encontra-se protegido por tapumes, evitando possíveis acidentes em frequentadores da Praça.

Veja também

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil
VACINAÇÃO

Médicos são os primeiros vacinados com a dose de Oxford no Brasil

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo
VACINAÇÃO

Primeiras doses da vacina AstraZeneca/Oxford chegam a Pernambuco neste domingo